Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

João III vence Estoril Open e quebra maldição

É o primeiro português a conquistar o maior torneio nacional. João Sousa venceu o americano Frances Tiafoe por duplo 6-4 e conquistou o terceiro torneio ATP da carreira.

Rui Gustavo e Lusa

Carlos Rodrigues

Partilhar

João Sousa nunca tinha ganho um jogo no quadro principal do Estoril Open e quebrou o enguiço da melhor maneira possível: conquistou a edição de 2018 do torneio e tornou-se o primeiro português a vencer a principal prova de ténis nacional.

A vitória, a terceira da carreira de João Sousa (ganhou Kuala Lumpur em 2013 e Valência em 2015) foi mais fácil do que os números parecem mostrar. Apesar do duplo 6-4 dominou sempre o adversário e, desta vez, também dominou os nervos que tantas vezes se voltam contra ele. Não houve discussões com o árbitro nem, principalmente, consigo próprio. é que o ténis é como uma espécie de boxe sem contacto e não há campeões sem nervos de aço.

Foi a décima vez que João Sousa chegou à final de um torneio ATP e o adversário não era fácil: FrancesTiafoe tem 20 anos, é filho de um imigrante da Serra Leoa e apaixonou-se pelo ténis quando o pai trabalhou numa obras de um complexo no estados Unidos. Ganhou o torneio de Delray Beach deste ano e venceu, pelo caminho, o grande (literalmente) Juan Del Potro. Tem um grande futuro à frente mas não chegou para João Sousa.

O jogo valeu a João III (o verdadeiro foi um monarca controverso e absolutista que ganhou o cognome de o piedoso) 250 pontos ATP, quase 90 mil euros de prémio e a coroa definitiva do rei do ténis português. É o mais bem classificado de sempre ((já foi 28º e agora vai dar um salto para um lugar próximo dos trinta ou quarenta primeiros), o único a ganhar torneios do circuito ATP e o melhor de sempre. Até na vitória: chorou no court, cantou o hino a plenos pulmões e as primeiras palavras foram para o adversário vencido.As últimas para a mãe.