Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Este streaming está um bocado lento. Ah, não, afinal é o Eliseu que tem a bola (estas e outras considerações de Um Azar do Kralj)

Quem viu o jogo de forma ilegal é capaz de se ter confundido, lembram-nos Vasco Mendonça e Nuno Dias, que também gostaram muito de ver a exibição de Pizzi evoluir de "candidatura de Assunção Cristas à CM Lisboa" a "comandante da armada"

Vasco Mendonça e Nuno Dias, Um Azar do Kralj

MIGUEL RIOPA/Getty

Partilhar

Ederson Moraes

Se dúvidas restavam sobre a existência de um muro entre a linha de baliza e o fundo das redes benfiquistas, foram hoje dissipadas aos 69 minutos numa defesa que Ederson nem o deus por ele adorado acreditavam ser possível. Não foi a única defesa digna de registo, mas é aquela que todos os que estiveram em Santa Maria da Feira irão recordar, dos observadores do Bayern ou do City aos engenheiros responsáveis pela construção do único muro que desabou durante o jogo.

André Almeida

Dele nunca se disse que nos falha como as notas de quinhentos. Fez aquilo que quase nenhum de nós consegue ao longo da sua vida: cumpriu. Nota artística para uma recepção de bola fabulosa aos 21 minutos. Se não fosse caucasiano diríamos que fez lembrar o Nélson Semedo.

Victor Lindelof

Exibição fiel à proveniência, a fazer lembrar aquelas almôndegas que se vendem no Ikea a 3€. Não enchem as medidas a ninguém, mas também não passamos fome. O penteado de hoje fez lembrar uma personagem da série Orange is The New Black - não que haja algo de errado nisso.

Luisão

Aproveitou a ausência de Nélson Semedo para voltar a ser o melhor do quarteto defensivo. Um corte defeituoso aos 29 minutos ofereceu o primeiro golo a Karamanos. Felizmente a coisa não deu em nada e o capitão aproveitou todo e qualquer lance depois desse para se redimir, portanto é provável que amanhã já ninguém se lembre que o Feirense tem um jogador grego. Imaginem o que seria aquela entrevista do tipo daqui a dois dias, a explicar que é difícil encontrar bom queijo feta em Santa Maria da Feira, mas que tirando isso gosta muito da cidade. Não há cu que aguente.

Eliseu

Para quem viu o jogo em streaming, foi um desafio perceber se o link estava a falhar ou se se tratava de mais uma jogada que abrandou assim que chegou aos pés do Eliseu. Juntou a isso atenção q.b. e algumas faltas bem cavadas que nos fizeram elogiar a sua experiência, apesar de estarmos mortinhos por ver regressar aquele miúdo espanhol.

Andreas Samaris

O magnífico passe a isolar Salvio aos 32 minutos pareceu saído dos pés de Rui Costa. Já as restantes acções no jogo foram executadas pelo melhor Samaris que se viu esta época. Não é nenhum Rui Costa, mas pelo menos não se lesiona a cada duas semanas como o sérvio.

Pizzi

A sua exibição na primeira meia hora fez lembrar a candidatura de Assunção Cristas a Lisboa: algumas ideias vagas sobre o rumo a tomar, uma série de acções despropositadas, dificuldade em compreender o contexto que o rodeava, e incapacidade de controlar a manobra adversária. Poucos minutos depois encontraria a felicidade na ciclovia do ataque benfiquista, sentando o guarda-redes adversário e marcando o nono golo da temporada. Voltaria outro do balneário e comandou a armada durante toda a segunda parte, mais do que a tempo de ser o melhor em campo.

Toto Salvio

Chegámos a uma fase da época em que a opção de colocar Salvio a titular tem menos apoiantes do que a candidatura de Pedro Madeira Rodrigues.

André Carrillo

Quem o viu e quem o vê. Mal nos lembramos do enjoadinho que passou a primeira volta a jogar 15 minutos por semana, os suficientes para irritar adeptos como nós. O novo Carrillo continua a melhorar de jogo para jogo, mostrando bons lances ofensivos, como a assistência para o golo de Pizzi, e uma surpreendente vontade de recuperar a bola sempre que a equipa defende. Em suma, está mesmo no ponto para se lesionar.

Andrija Zivkovic

Fez uma exibição consistente na medida em que manteve o rácio de três passes básicos falhados por cada jogada de belo efeito. Rui Vitória já lhe pediu que tente outra vez, que falhe outra vez, que falhe melhor, mas tentem lá traduzir Samuel Beckett para sérvio.

Kostas Mitroglou

Falhou dois ou três golos, mas tendo em conta o seu desempenho nas últimas semanas queremos apenas agradecer-lhe o facto de ainda não estar na China. Além disso é menino para compensar os adeptos já na próxima quarta-feira.

Jonas

Regresso de mais uma lesão. Entrou com a frescura de um brasileiro no carnaval de Ovar.

Cervi

O melhor suplente do plantel, tão bom que já merecia ser titular. Os seus já proverbiais dez minutos em campo terminam sempre com um mic drop que só Rui Vitória parece ignorar.

Jimenez


Desculpem, mas a Patrícia Mamona apareceu agora na tv. Temos de ir. Até quarta.

Partilhar