Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Os 18 milhões que o Benfica deu por Rafa davam para comprar um hotel em Torremolinos, entre outras coisas (Um Azar do Kralj enumerou-as)

O autocorrect do telemóvel de Vasco Mendonça e Nuno Dias corrige Dramé para Drama, o que faz todo o sentido após a vitória do Benfica em Moreira de Cónegos. Além disso, congratulam-se com o regresso de Grimaldo, que não jogava há 6 meses e por isso facilmente se adaptou ao ritmo de jogo e lucidez do futebol dos encarnados

Vasco Mendonça e Nuno Dias, Um Azar do Kralj

OCTAVIO PASSOS/LUSA

Partilhar

Ederson

Como é que uma noite com tão pouco trabalho gera tanto zunzum perto da sua baliza? Ederson terá chegado ao fim como nós: sem perceber se faltam sete finais para o título ou sete meias-finais da Taça da Liga.

Nélson Semedo

Travou um interessante duelo com Dramé, que o nosso autocorrect insiste em corrigir para Drama, desta vez com alguma razão. Está numa fase da carreira em que a sua presença em campo intimida os adversários mesmo que não esteja particularmente inspirado, uma das muitas razões pelas quais será titular indiscutível desta equipa até ao fim dos seus dias na Luz. Por falar nisso, já só faltam umas semaninhas.

Luisão

Aos 30’, em desespero porque nada acontecia no seu raio de acção, avançou alguns metros para fazer o habitual lance de belo efeito em que desliza graciosamente no relvado e tira o pão da boca a um adversário, mas desta vez quase arrancava uma perna a Boateng. Felizmente o árbitro percebeu a nobre intenção do gesto e perdoou a expulsão a Luisão, que passou os restantes 60 minutos em campo a agradecer ao destino pelas segundas oportunidades.

Lindelof

Evitou que o chapéu de Dramé a Ederson aos 49 minutos entrasse na baliza, e quando assim é torna-se complicado dizer mal do rapaz. Reparámos que aos 31’ foi obrigado a jogar com o pé esquerdo, provocando uma reacção nos colegas semelhante à de George Costanza no episódio “The Little Kicks” quando viu a Elaine dançar.

Grimaldo

Não jogava há 6 meses, portanto adaptou-se facilmente ao ritmo de jogo e lucidez do futebol benfiquista. No caso do espanhol, estamos a contar com alguma margem de progressão.

Fejsa

É sempre agradável ter em campo um médio defensivo que sabe fazer faltas. Ao contrário de Samaris, passou o jogo a distribuir presentes, como por exemplo aos 24 minutos, em que atropela Boateng como se as suas circunstâncias anatómicas o tivesse obrigado a isso. Fejsa tem esta vantagem: não é exactamente um jogador de futebol e é quase sempre um dos melhores jogadores em campo. Com ele por perto, os colegas sentem-se mais seguros para falharem as iniciativas ofensivas.

Pizzi

Começou o jogo alternando entre passes para as costas da defesa adversária e algumas tentativas de acelerar o jogo pelo centro. Percebeu que a coisa não resultava e tentou combinações com os colegas mais próximos, só que a maioria dessas combinações envolviam uma daquelas pessoas que diz “espera aí puto, já lá vou ter” e nunca mais aparece nem se digna a dizer nada, apesar de sabermos que leu as nossas mensagens no WhatsApp. Imune às piadolas, Pizzi acabaria por fazer mais uma assistência para golo.

Salvio

Estrela maior de um dos melhores movimentos colectivos da equipa, designado por “afastem a bola do Salvio”. Acontece sempre que é dado a Nélson Semedo a opção entre um passe para Salvio ou para Fejsa e o português opta pelo sérvio. A partir daí, a bola afastar-se-á do raio de acção do argentino, dando esperança a todos os adeptos. Foi substituído aos 66’ e a reacção não se fez esperar. A sua esposa Magali Aravena foi ao Twitter e escreveu ”En serio???????????”, uma pergunta com 11 pontos de interrogação, curiosamente o mesmo número de jogos em que Salvio não devia ter sido titular ou de intervenções incompreensíveis ao longo do jogo.

Mitroglou

Um cabeceamento perfeito que evitou seis milhões de cabeçudos, e pouco mais se lhe poderia pedir. Passou muito tempo de costas para a baliza a ver jogar Rafa e Salvio. Nem um nem outro lhe pediram desculpa no final.

Jonas

O Shéu apareceu agora na televisão. Autografou duas camisolas de jovens adeptos. Está tudo bem. Agora apareceu o Eliseu, que apresenta um novo penteado. Ninguém terá coragem de lhe dizer que parece estar a usar uma daquelas toucas de um empregado do McDonalds que trabalha na grelha. O Pizzi está a tirar fotografias com adeptos, com um olho na câmara e outro no autocarro. Agora apareceu o Luisão. Parece estar a pedir desculpa a uma senhora que lhe pergunta certamente pelo Jardel. Cortou para o Petit, que começa a falar no exacto momento em que desligamos o som. Dirá certamente que a sua equipa tem seis finais pela frente enquanto os jornalistas evitam o bocejo. E o Jonas? Alguém sabe do Jonas?

Rafa

Pedimos aos fãs da página que nos dissessem, na sua opinião, em que é que poderiam ser gastos os 16 milhões pagos por Rafa. A saber: um hotel em Torremolinos para organizar estadias de finalistas, bifes e costeletas para o Eliseu, dois Depoitres, mulheres e álcool, stock de cerveja para todos os jogos do Benfica até 2030 ou até Luisão abandonar o futebol, três Cervis, médicos e fisioterapeutas, mais 10 anos de avenças aos árbitros, uma piscina para o Jonas, a dívida do Vieira ao BPN, vouchers até aos 50 títulos nacionais, trinta e dois milhões e oitocentas mil pastilhas elásticas, segurança para o próximo jogo do Canelas em casa, e continuar a pagar à bruxa que nos garante a mija que temos tido. Aquela trivela de meia tigela é que não foi certamente.

Zivkovic

Antes de entrar, Rui Vitória pediu-lhe que evitasse surpreender o adversário com algum laivo de criatividade. O sérvio desobedeceu e foi, apesar de tudo, um dos responsáveis por empurrar um pouco mais o Moreirense de volta para o seu meio-campo. À medida que os minutos passavam, e perante a insistência de Rui Vitória, o sérvio acabou por obedecer e lá se diluiu na extenuante falta de ideias do futebol benfiquista.

Cervi

Um dos autores desta análise tem um filho de 4 meses que apresenta actualmente um penteado muito semelhante ao do Cervi. Ainda que no caso do bebé isso se deva às vicissitudes da genética, é suficientemente amoroso para nada dizermos de negativo acerca do jovem argentino, a quem atribuímos o mérito de não ter bolçado para cima de ninguém durante o jogo.

Samaris

Lançou hoje a sua candidatura a vice-presidente da FPF, mas o melhor que deverá conseguir é uma queixa do Sporting e uma merecida suspensão, tão justa pela agressão como pela estupidez do seu comportamento. Aconselhamos a estratégia de defesa Canelas 2010: se alguém perguntar, não te lembras de nada mas pedes desculpa à família do jogador, aos adeptos e ao futebol português.