Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Um Azar do Kralj viu finalmente o primeiro golo de Bruno Varela com a camisola do Benfica. E foi de antologia

Vasco Mendonça e Nuno Dias acreditam que a análise à exibição de Bruno Varela devia ser escrita por José Cutileiro e publicada na secção In Memoriam e que Pizzi está num estado de desorientação tal que já não dá para lhe chamarmos Pinedine Zidane

Vasco Mendonça e Nuno Dias, Um Azar do Kralj

Carlos Rodrigues/Getty

Partilhar

Bruno Varela

Ao quinto jogo, finalmente estreou-se a marcar. E foi de antologia. Estou a brincar. Foi fatídico. A análise à exibição de Bruno Varela devia ser escrita por José Cutileiro e publicada na secção In Memoriam. Já a cara de Júlio César no lance do segundo golo, marcado por Bruno Varela, diz-nos tudo o que precisamos de saber acerca do jogo de hoje e muito provavelmente da época que temos pela frente.

André Almeida

Uma pessoa sabe que a coisa está preta quando o Benfica perde no Bessa aos 92 minutos de jogo e o comentador da Sport TV diz “4 minutos para o fim, André Almeida a conduzir o lance”. Desculpem. 4 minutos para o fim do jogo ou para o fim do mundo?

Luisão

Segundo fotos publicadas nas redes sociais, Luisão é grande fã de Tony Robbins, um dos mais conhecidos escritores de auto-ajuda da atualidade. Porque é que isto é importante? Porque nenhum livro de Tony Robbins ou de auto-ajuda te diz para esquecer o sucesso enquanto é tempo. Não. Os livros de Tony Robbins dizem coisas como “desistir não é opção”, “nunca é tarde demais para correres atrás dos teus sonhos” ou “quando o destino te propõe renovar por uma época, responde sim”. Imaginem-se em 2018: Eliseu é agora capitão do Santa Clara. Grimaldo brilha ao serviço do Granada. Rúben Dias rescindiu e assinou por 2 anos com o Portimonense. André Almeida continua no plantel e Luisão, aos 37 anos e meio, continua a liderar a nossa defesa. Take all the time you need.

Rúben Dias

Já vos aconteceu trabalharem numa empresa que está em vias de falir? Vocês com três meses e meio de salários em atraso a tomar café na copa e aparece um estagiário chamado Rúben. É o seu primeiro dia. Coitado. Passou a primeira parte à espera que o informático lhe configurasse o mail e a segunda a atualizar o LinkedIn. Não tem culpa nenhuma do que se passa. Se for esperto, não voltava a seguir ao almoço.

Grimaldo

Dos menos maus. A partir do segundo golo do Boavista, fez tudo o que estava ao seu alcance para se lesionar com gravidade e evitar passar o resto da época no relvado. Não o podemos censurar. Tal como a maioria de nós, chegou ao final do jogo fisicamente apto e psicologicamente na merda.

Filipe Augusto

Faz lembrar aquela mulher de um episódio de Seinfeld cuja beleza varia consoante a iluminação do local em que se encontra. Quando está no Monk’s Café parece um canhão. Quando a vemos no carro do Jerry parece um camafeu. Esta comparação pareceu-nos uma opção mais recomendável do que desatar a chamar nomes ao Filipe Augusto. Quando estamos a ganhar, parece um jogador aceitável. Quando estamos empatados ou a perder, parece-nos um pateta com pouca clarividência e sem a agressividade que se pede naquela zona do campo. Como sabem, temos passado muito tempo empatados ou a perder.

Pizzi

A exibição de Pizzi na primeira parte permitiu-nos jogar em igualdade numérica pela primeira vez em largas semanas. Infelizmente, foi sol de pouca dura. O jogador chegou ao fim num estado de desorientação que contrasta com o jogador que em tempos conhecemos como Zidane de Bragança. Isto só lá vai com anti-depressivos ou um vídeo do Guilherme Cabral.

Salvio

Lesionou-se aos 48 minutos. O momento mais esclarecido da sua presença em campo foi mesmo a cara de “a sério? outra lesão? vocês não têm vergonha?” que o argentino fez quando a equipa médica chegou ao pé de si.

Zivkovic

Segunda assistência em dois jogos, e duas derrotas. Quem também fazia muito isto era o Poborsky. Lembram-se dele? Um checoslovaco muito talentoso que passava 90 minutos a desviar-se dos cepos da própria equipa. Às tantas lá se cansou e foi à vida dele.

Jonas

Marcou um golo num daqueles cabeceamentos como mandam as regras. Faz aliás muita coisa como mandam as regras ou o mais elementar bom senso, o que é um problema. Como dizia José Saramago, em terra de cegos quem tem olho está lixado.

Seferovic

Quando saiu para dar lugar a Jimenez aos 69’, estava a jogar a extremo-esquerdo. Chegámos a uma fase da época em que importa esclarecer se aquelas garrafinhas de Rui Vitória contêm água mineral ou vodka.

Rafa

O seu futebol é bem intencionado, mas continua a padecer de um rodriguinho a mais ou de um neurónio a menos.

Jimenez

Ocupou de forma competente o chamado espaço entre linhas, isto se nos referirmos às linhas de cabeceira.

Gabigol

Calma, Gabriel. Não tens nada a ver com isto. Agora é aguentar até Janeiro. Depois logo se vê.

Rui Vitória

Estará neste momento ao telefone com a Marta da Ok Teleseguro depois de ter espetado o Ferrari.