Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Um Azar do Kralj assistiu a uma noite histórica do Benfica na Vila das Aves: Pizzi começou no banco e foi amarelado

Foi uma noite de fenómenos na Vila das Aves: Pizzi ficou no banco, mas Vasco Mendonça e Nuno Dias talvez preferissem que fosse Salvio a ficar de fora... "Se a espécie humana fosse constituída apenas por extremos do Benfica e Rui Vitória fosse o armagedão, Salvio seria a barata que sobrevive a tudo"

Vasco Mendonça e Nuno Dias, Um Azar do Kralj

Pizzi, jogador do Benfica

FRANCISCO LEONG

Partilhar

Svilar

Meia dúzia de intervenções atentas e nenhum lance que nos obrigue a relativizar a borrada com a sua tenra idade, o que é bom. Esteve bem até mesmo quando não tocou na bola, como num remate de Derley aos 85 minutos que, na opinião do comentador da Sport TV, foi bem desviado por Svilar. Quem somos nós para dizer o contrário? De resto, nada de novo. O jovem belga revela um potencial enorme, que é como quem diz, há lances em que claramente anda ali aos papéis. Felizmente, tem vinte e três anos para atingir o nível de Quim.

André Almeida

Há uma facção de benfiquistas que gosta de questionar as possibilidades do Benfica neste campeonato. Perguntam esses adeptos: como podemos esperar que o Benfica seja pentacampeão com André Almeida a titular? Pois bem, nós fomos fiéis militantes dessa facção durante algumas semanas, pelo menos até termos visto o Douglas. Que bálsamo voltar a ter 11 jogadores em campo. A partir de hoje André Almeida é titular indiscutível e não se fala mais nisso. Sim, isso significa que não vamos falar do lance do golo do Aves em que André Almeida mete uma argolada. Se não vos agradar, revejam os jogos do Douglas.

Luisão

O capitão fez uma exibição tão certinha como o final da sua carreira em maio de 2018. Algumas pessoas sob o efeito de estupefacientes dirão que Luisão não está ao nível de Rúben Dias, como se o jovem titular fosse o novo Varane. Infelizmente ainda não é. Mais: se não fosse a presença de Luisão em campo ao longo dos últimos anos, o Rúben Dias e os muitos projetos de defesas que vierem antes dele nunca tinham passado disso mesmo: projetos. Portanto, olhem com atenção para o banco de suplentes, respirem fundo e deixem Luisão continuar a bater recordes. Hoje foi o de jogos ao serviço do Benfica na Liga Portuguesa.

Rúben Dias

Exibição quase perfeita, não fosse o desempenho esteticamente discutível nos lances de bola parada. Com tanto cientista e laboratório lá no Seixal, custa a compreender que ninguém tenha explicado a Rúben Dias que arregaçar os calções ao ponto de parecerem uma sunga que Cristiano Ronaldo vestiria numas férias com amigos no Mediterrâneo não só não o torna melhor jogador como é desagradável.

Grimaldo

Voltaram os rumores que colocam Grimaldo a caminho do Manchester United. Estão a ver? Isto é muito mais simples do que parece. No Benfica, um jogador só tem que evitar ser um dos piores para garantir lugar na alta roda do futebol europeu. O entendimento de Grimaldo com Diogo Gonçalves foi idêntico ao que tem tido com os restantes colegas utilizados na posição, muito pouco propenso a hipérboles. Ao invés de um “parece que jogam juntos há anos”, damos por nós ocasionalmente a questionar se de facto costumam treinar juntos.

Fejsa

Alguns erros incaracterísticos. Por falar nisso, quando é que um defeito deixa de ser incaracterístico e passa a ser característico? Existe alguma regra? É que temos tido algumas dúvidas em relação ao Fejsa.

Filipe Augusto

Excelente exibição do brasileiro que hoje jogou na posição 30, designadamente os 30 milhões que vamos encaixar com a venda deste rapaz assim que o presidente e Jorge Mendes encontrarem um indivíduo minimamente impulsivo com uma caderneta de cheques por perto. Não se queixem. Passámos anos a produzir quinzes e temos alguns que, nesta deprimente ditadura financeira em que vivemos, teriam de jogar com um número negativo na camisola. E nós não queremos isso - que eles joguem.

Salvio

Se a espécie humana fosse constituída apenas por extremos do Benfica e Rui Vitória fosse o armagedão, Salvio seria a barata que sobrevive a tudo. De lance desastrado em lance desastrado, Salvio lá vai fazendo o seu caminho à espera que a nossa fénix renasça das cinzas. Fónix.

Diogo Gonçalves

Foi um dos agitadores de serviço na primeira parte, tendo inclusivamente ganho um pénalti à meia hora, quando alguns adeptos do Benfica já abandonavam as bancadas. Como qualquer extremo às ordens de Rui Vitória, foi desaparecendo aos poucos do jogo, sem que ele ou qualquer outra pessoa, incluindo o seu treinador, conseguissem perceber porquê.

Jonas

Como dizer mal de uma pessoa que já nos deu tanto e ainda assim marcou dois golos decisivos? Fazendo nossas as palavras do James Murphy: Jonas, i love you but you’re bringing me down.

Seferovic

Tal como o autor deste texto na noite lisboeta às 5 da manhã, Seferovic passou a primeira parte a aparecer nos locais certos sem saber exatamente o que fazer. Já a segunda parte trouxe um Seferovic estranhamente renovado, com melhor ocupação dos espaços, o primeiro golo desde Agosto e o primeiro jogo fora de casa em que o Benfica marcou dois golos. Tudo isto seria digno de celebração se não fosse tão deprimente. Importa notar que o golo de Seferovic nasce de um lance em que leva uma bolada de Jonas. Não nos pareceu estudado, mas talvez seja de repetir.

Pizzi

Noite histórica na Vila das Aves. Pizzi começou no banco e foi amarelado. Nada será como dantes, amigos.

Krovinovic

Foi demasiado produtivo para tão pouco tempo em campo. Ele que se junte ao Zivkovic na bancada para ver se aprende.

Jimenez

Aquele estranho momento em que percebes que o único suor na tua camisola é o do gajo que acabaste de substituir. Parabéns a Rui Vitória, esse magnífico gestor de seres humanos que hoje revelou mais uma vez os seus dotes de Sun Tzu do Ribatejo. Não percebemos se esta substituição é humor perverso ou apenas parvoíce.