Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

O verdadeiro polvo encarnado, a rap battle de Camané e um muito obrigado dedicado a Marega: "Amigo, vemo-nos em maio" (por Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça escreve sobre o que viu no clássico de sexta-feira. E há imagens e metáforas e alegorias para tudo

Vasco Mendonça, Um Azar Do Kralj

MIGUEL RIOPA

Partilhar

BRUNO VARELA

Enorme. Tanto ele como Marega asseguraram hoje lugar cativo no nosso onze. Perdemos a conta às boas defesas que fez, grandes defesas, decisivas, mas certamente não teríamos perdido a conta aos golos sofridos. Na verdade, não sabemos se foi apenas uma noite brilhante de Bruno Varela ou se ganhámos mais um guarda-redes de eleição. Não é importante. Como diria Kierkegaard, deixem-se de merdas e rumemos serenamente ao penta.

ANDRÉ ALMEIDA

Muito bem a secar Brahimi durante a primeira parte. Entregou-se de forma abnegada às tarefas defensivas. Nem sempre damos por ele mas André Almeida está quase sempre lá, no sítio certo à hora certa, pronto para decidir jogos.

LUISÃO

Não falhou um único lance na primeira parte. Destaque para um corte tremendo com as costelas aos 36’. Usou e abusou da sua leitura posicional para evitar dar as costas a adversários bastante mais rápidos, que ainda assim tentaram aparecer como se fosse black friday na defesa do Benfica. Feitas as contas, o desconto não compensou.

JARDEL

Foi escolhido para desempenhar o papel de central ágil e rápido capaz de acompanhar adversários invulgarmente velozes e possantes. Nos dias que correm isso é um pouco como pôr o Camané numa rap battle, mas a verdade é que não passaram por Jardel os maiores erros da defesa.

GRIMALDO

Mal batido em alguns lances que exigiam o habitual charuto dali pra fora. Joga por vezes demasiado bonito para o seu próprio bem, ou da equipa. Foi pelo seu flanco que o FC Porto mais vezes explorou a liberdade nas costas da defesa. Mais vezes ou com mais perigo, escolham vocês. Acabou por dar mais trabalho aos colegas do que ao adversário.

FEJSA

Mais uma notável exibição na defesa dos superiores interesses do clube. Vejam como se comporta, tudo o que faz e o modo como anula as muitas ameaças. Este sim é o verdadeiro polvo encarnado.

KROVINOVIC

Se é verdade que ele já foi o Batman do nosso meio-campo, a chegada de Krovinovic fez com que Pizzi fosse despromovido a Robin, mas não um Robin qualquer. Pizzi é hoje aquele meme do Robin que tenta explicar algo quando subitamente leva uma estalada do Batman. Se esquecermos patentes, títulos conquistados e principalmente escolha de penteados, Krovinovic é hoje o mais que natural líder desta equipa e o jogo de hoje foi a confirmação que faltava. Enquanto houve Krovinovic, houve magia, perigo, inteligência e controlo emocional. Sem Krovinovic houve essencialmente Bruno Varela.

PIZZI

Ao intervalo duas dúvidas assaltavam os adeptos: se tinha ou não sido mão na bola de Luisão e se Pizzi se encontrava em campo. A primeira foi esclarecida ao fim de algumas repetições. A segunda foi esclarecida quando Rui Vitória substituiu Pizzi. Para que não restassem dúvidas, o jogador decidiu insultar a equipa técnica. Parecendo que não, foi das acções mais justificáveis de Pizzi na noite de hoje.

SALVIO

Deu profundidade ao ataque na direita e conseguiu simultaneamente alinhar numa postura defensiva muito compacta, isto durante meia hora. Depois disso perdeu-se no marasmo de ideias provocado pela pressão do meio-campo portista. Só voltou a encontrar espaço já na flash interview ao citar Mark Twain quando este disse que os rumores da sua morte foram manifestamente exagerados. Poderá também dar-se o caso de que os rumores da nossa ressurreição não se venham a confirmar, mas, mas nada, não há mais nem meio mas, é para ganhar.

CERVI

Foi um dos protagonistas do carrossel inicial de pressão sem bola alternada com transições rápidas. A partir da meia hora de jogo passou a notabilizar-se pela pressão com bola e pelas transições lentas.

JONAS

Assim assim. Perdeu a oportunidade de bater o recorde de golos em jogos consecutivos no campeonato, pertencente a um senhor chamado Julinho. Complicado quando se remata tão poucas vezes à baliza. Deve estar inconsolável, pelo que não vamos bater mais no ceguinho. Já agora, só um ceguinho para não ver aquele pontapé do Felipe ao Jonas.

SAMARIS

“Rui Vitória não parece satisfeito com o que está a ver e já chamou Samaris”
- Repórter Sport TV, aos 62 minutos de jogo, responsável pelo melhor momento de comédia involuntária da noite.

ZIVKOVIC

Até o Felipe se riu da expulsão.

JIMÉNEZ

Uma vez contaram-me uma história muito boa de um tipo que foi despedido por um chefe pouco habituado a conversas difíceis. A coisa correu tão mal que o tipo despedido apareceu no dia seguinte para trabalhar, e no dia seguinte, e no dia depois desse, até alguém ganhar coragem e dizer-lhe que não fazia sentido estar ali. Curiosamente o gajo refez a vida dele e hoje trabalha na China, onde é feliz e realizado. Enfim. Não sei porque é que escrevi isto aqui, mas se puder inspirar uma pessoa que seja, já valeu a pena.

MAREGA

Muito obrigado, amigo. Temos um lugar reservado para ti em Maio.

AQUELE TIPO NO BANCO DO BENFICA QUE PONTAPEOU A BOLA AOS 89 MINUTOS

Não faças isso.