Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Almeida é um tinto Cabriz e Krovinovic um Conde de Santar 2009 que só é usado para fazer refogados à Rui Vitória (por Um Azar do Kralj)

O Benfica foi a Tondela golear (5-1) e Vasco Mendonça tem muitos elogios para distribuir, começando por Varela, "uma espécie de Natal dos Hospitais à Benfica"

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

Varela

Excelente ao aceitar o abraço de Lisandro nos festejos do segundo golo. Percebeu-se que o fez por solidariedade com o argentino. Foi bonito. Foi estranhamente bonito. Foi uma espécie de Natal dos Hospitais à Benfica, sem aquela parte das dez horas de transmissão televisiva. Varela continua a sofrer golos parvos como se não houvesse amanhã, o que teria muito mais graça se o Benfica tivesse um excelente defesa lesionado chamado Amanhã. Felizmente, nenhum dos últimos golos sofridos foi culpa sua. Esperemos que não tenha de utilizar essa desculpa no dia 3 de Janeiro.

André Almeida

Fez lembrar um vinho do Dão que por acaso patrocina a equipa do Tondela, ou não fosse produzido na região. Chama-se Cabriz e a sua versão mais barata custa 3.99€, o que a torna difícil de apresentar em jantares com amigos pretensiosos. No entanto, este Cabriz é um belíssimo vinho corrente que tem a particularidade de não dizer nada do que dizem os outros vinhos e safar-se precisamente, ou também, por causa disso. O rótulo de Cabriz não diz o ano da colheita, diz que é feito desde 1990. Sabemos que é uma colheita selecionada, como se não fosse assim com todos os vinhos. Por fim, se restarem dúvidas, uma gargantilha que acompanha a garrafa e o próprio rótulo esclarecem quaisquer dúvidas: Cabriz é o nº 1. Como assim nº 1, pergunta o leitor? Calma, é preciso ler até ao fim. Cabriz é o melhor e mais vendido Dão do mundo, assim como André Almeida é de longe o melhor lateral direito inscrito pelo Benfica em todo o mundo. Aliás, se considerarmos aquilo que será o consumo corrente da equipa no resto desta época, é bem capaz de chegar para as encomendas.

Lisandro

Batido apenas uma vez no golo de consolação do Tondela. Tocou oitenta e seis vezes na bola e em nenhuma delas pareceu inferior a Luisão ou a Rúben Dias. É a primeira vez que isso acontece esta época. A sua exibição pedia mais elogios, mas não me quero arrepender.

Jardel

Quando a exibição de um central é quase tão banal como uma flash interview de Rui Vitória, isso até pode ser considerado positivo. Talvez Jardel não tenha gostado tanto como os adeptos, ele que se habituou a colocar a sua vida em risco para servir os interesses do Benfica. O seu posicionamento em campo é o de um pai de família que está ali para cuidar dos seus, mas os olhos não mentem. Jardel está desesperado por uma batalha campal, por um adversário à altura dos seus acessos de impetuosidade. Aquele holandês surpreendentemente simpático terá de servir.

Grimaldo

97 toques na bola
62 passes tentados
54 passes completados
5 cruzamentos
2 assistências para golo
754 tweets de adeptos de clubes ingleses a suspirar por ele
45 milhões de euros, amiguinhos.

Fejsa

Não sendo ele o principal responsável pela manobra ofensiva da equipa, é no entanto Fejsa quem permite aos colegas na zona central do campo acelerarem o jogo e colocar a equipa a jogar à chamada velocidade Fejsa, que é tipo a de cruzeiro mas segue em direcção ao Marquês de Pombal. Como todos os cruzeiros que visitam Lisboa, também o nosso atracará no Lux se as marés e os ventos assim o permitirem.

Krovinovic

Aquele passe errado aos 75 minutos parece indicar que Krovinovic é afinal um ser humano e não o mais recente avanço da robótica. A sua inteligência na receção, no controlo da bola, nas decisões de passe ou de progressão no terreno, colocam-nos quase sempre mais perto da baliza adversária. Infelizmente, colocam Krovinovic quase sempre mais perto de um gigante europeu. Se André Almeida é Cabriz, Krovinovic é um Conde de Santar 2009 que por enquanto continua a ser usado para fazer refogados à Rui Vitória.

Pizzi

Espantoso como não deixou cair a batuta uma única vez ao longo de 90 minutos. Bem vindo de volta, maestro.

Salvio

A seguir ao meu pai e aos meus filhos, é o único homem que eu seria capaz de beijar nesta noite de domingo. Se continuar assim poderá vir a fazer a sua melhor época de sempre no Benfica. Imaginem quanto ganhará o tipo que tiver apostado nesse cenário. Esqueçam o título do Leicester. Isto é coisa para dar uns quantos milhões. Quem me dera. Podia finalmente comprar aquele T1 no Príncipe Real.

Cervi

Deambulou pela esquerda e pelo centro sem outro efeito que o de nos levar a imaginar como seriam essas mesmas deambulações se fossem protagonizadas por Zivkovic. Já não é pouco.

Jonas

Mais uma exibição preocupante. Aproxima-se aquela altura do ano em que Jonas recebe propostas de clubes chineses. Muito cuidado com a ganância. Este Benfica sem os dezanove golos de Jonas não vai ter dezanove golos de Jiménez, muito menos de Seferovic, e por favor não mencionem um tipo qualquer da equipa B para demonstrar que acompanham e tal.

Samaris

Há quem se guie pela direção da luz solar para determinar a hora do dia, mas quando chega a noite basta ver onde está Samaris. Se o virmos entrar em campo, é provável que faltem vinte e cinco minutos para as dez da noite.

Keaton Parks

Uma notícia esta semana explicava que Keaton Parks roubou espaço a Filipe Augusto. Louvemos a intenção do miúdo que não falhou um único passe hoje, mas façamo-lo com a devida cautela. Esta poderá ser uma boa notícia para o plantel do Benfica, mas uma péssima notícia para qualquer pessoa nesta situação que não for agenciada por Jorge Mendes.

Jiménez

Esta semana em “não tenho nada para dizer sobre este tipo”, o autor recomenda o visionamento da série Dark, disponível via Netflix. Dark é um thriller psicológico sobre um adolescente que volta atrás no tempo para tentar emendar o seu destino. O melhor que consegue, no entanto, é uma comissão independente que não chega a conclusão nenhuma, mas não quero spoilar.