Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

As jeans de Zivkovic, o furacão Grimaldo e... Pizzi, és tão pimp, miúdo (por Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça escreve sobre a sua infância e sobre meteorologia e sobre hipsters e sobre campeões e sobre o MInistério Público e sobre... Disclaimer: não faltam analogias neste texto sobre o onze do Benfica que goleou o Rio Ave por 5-1

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Partilhar

Bruno Varela

Muito bem a acompanhar a trajetória da bola em todos os lances, incluindo um em que outro guarda-redes mais sôfrego teria sucumbido à tentação de intervir heroicamente - mas não o nosso Bruno Varela. Pleno de reflexos, percebeu de imediato que o melhor era não se meter no duelo entre João Novais e o poste, com quem o jovem talento e futuro reforço do Benfica viria a perder o duelo. Fica para a fotografia como o lance menos competente de Varela em toda a partida, que é como que diz, continuamos bem entregues.

André Almeida

Está para o futebol do Benfica como a electricidade, a água ou o gás estão para os cidadãos do primeiro mundo. Se excluirmos o ocasional hipster que gosta de ser do contra, todos concordarão que já não conseguimos viver sem André Almeida. A exibição de hoje não teve nenhum momento especialmente brilhante, mas teve aquela saborosa monotonia só ao alcance dos mais competentes.

Rúben Dias

Existem dois tipos de futebolistas: os que, perante o infortúnio, afirmam ao microfone que é necessário levantar a cabeça e pensar no próximo jogo, e os que simplesmente levantam a cabeça e pensam no próximo lance. Estes últimos são vulgarmente conhecidos como vencedores. Campeões. Foi o que Rúben Dias demonstrou ser após o golo do Rio Ave. Não só evitou alguns lances perigosos como acabaria por marcar. É baixar a cabeça e continuar a trabalhar.

Jardel

Qual resgate dos mineiros chilenos qual quê. Jardel conseguiu, sozinho e sem recurso a qualquer equipamento, munido apenas de uma testa com boa pontaria, retirar alguns milhões de pessoas da fossa para a qual foram subitamente atirados pelo golo do Rio Ave. O seu festejo não foi apenas o de alguém que marca um golo, mas o de quem sabe que salvou vidas, incluindo até a sua, também ele um benfiquista do coração. O futebol é tão bonito quando o Benfica ganha.

Grimaldo

Ana, Bruno, Carmen, David, Emma, Felix, Gisele, Hugo, Irene, Jose, Katia, Leo, Marina, Nuno, Olivia, Pierre, Rosa, Samuel, Telma, Vasco e Wiam. São estes os nomes das próximas tempestades em Portugal. Lamentavelmente, os nomes foram decididos por agências de meteorologia. Se as instituições funcionassem, o próximo furacão chamar-se-ia Grimaldo. E têm a vergonha de dizer que o Benfica manda nisto tudo. Nota-se.

Fejsa

Mantém-se como peça imprescindível ao plano maquiavélico do Benfica para dominar o futebol nacional. Não obstante um ou outro soluço causado pelo facto de estar a jogar com menos dois na primeira parte - Zivkovic e Pizzi - acabou por conseguir conter a maioria das iniciativas do Rio Ave e também do Sporting, por intermédio de Francisco Geraldes. Se continuar assim arrisca-se a ser investigado pelo Ministério Público já no mês de Maio pelo crime de avermelhamento de capitais, nomeadamente na zona do Marquês.

Pizzi

A sua displicência no lance do golo do Rio Ave exigia uma resposta cabal que poderia surgir sob uma de três formas: substituição imediata, agressão plenamente justificada de um adepto, ou jogar à bola. Felizmente para o jogo e para a sua integridade física, Pizzi escolheu esta última hipótese e chegou ao fim com o golo da reviravolta em seu nome, uma assistência e a limpar algumas partículas de pó que permaneciam nos seus ombros como se estivesse num vídeoclipe do Jay Z. ÉS TÃO PIMP, MÍUDO.

Zivkovic

Eu já tive umas calças assim. A minha mãe insistia que tinham a mesma qualidade, mas os meus amigos vestiam Chevignon e as minhas por algum motivo diziam Cheviron. Sabem que mais? Sobrevivi.

Salvio

Se tiverem um amigo que assiste aos jogos do Benfica através de um site ilegal e portanto celebra os golos com trinta segundos de atraso, convençam-no a aderir à BTV, mas antes disso experimentem fazer este jogo. Por cada vez que o vosso amigo conseguir prever aquilo que Salvio vai fazer numa determinada jogada, vocês bebem um shot. Se falhar, bebe ele. Hoje não teriam tido tempo de se embebedar, mas fica a sugestão. Hoje foi a vez de o meu fígado celebrar a lesão de Salvio com a sua substituição à meia hora.

Cervi

Não sei quantas revoluções foram lideradas por anões, mas eu lutaria por Franco Cervi.

Jonas

Sempre uns furos acima dos colegas em matéria de inteligência. Voltou a marcar, mas isso é o menos importante. Durante os festejos deu a entender que se tinha lesionado. É uma situação que importa analisar com a máxima brevidade. É que o Estádio da Luz tem 65.000 lugares sentados e apenas meia dúzia de desfibrilhadores.

Rafa

Há aqueles jogadores que pura e simplesmente nascem para decidir. Tudo no seu código genético parece capacitá-los para os momentos mais importantes. É como se uma fúria qualquer do destino os colocasse no centro da tempestade e fizese deles os únicos aptos a evitar a mais que provável triste sina. E depois há jogadores como Rafa, que uma vez por outra decidem mostrar umas coisas e nos deixam meio perplexos a perguntarmos a nós mesmos porque é que este gajo não joga mais.

Jimenez

Hoje em “o que faz este tipo no Benfica?”, Raul Jimenez choca o mundo do futebol ao protagonizar o lance mais improvável de sempre, marcando um golo com assistência de Rafa. Ainda durante o programa de hoje, não perca o misterioso avistamento de um OVNI a levantar voo na Fonte da Telha.

João Carvalho

Pareceu visivelmente satisfeito por não se esperar nada dele nos 5 minutos que esteve em campo.