Tribuna Expresso

Perfil

Um Azar do Kralj

Alguma vez viram um beto substituir um cigano em funções consideradas vitais para um país e correr bem? Pois. (por Um Azar do Kralj)

Ora então, aqui vai a análise, um por um, aos jogadores de Portugal que garantiram um lugar nos oitavos de final do Mundial2018

Vasco Mendonça, Um Azar do Kralj

Jean Catuffe

Partilhar

Rui Patrício

Continua a aguardar pacientemente pela oportunidade de se tornar o homem do jogo em partidas a eliminar. Descansa, Rui.

Cédric

Aproveitou as múltiplas altercações provocadas por Quaresma para algumas arrancadas bem conseguidas pelo flanco direito. Quando os iranianos deram por isso, já Cédric estava na linha de fundo prestes a cruzar e Quaresma lhes tinha enfiado mais uns pítons. VAMOS EQUIPA! Terminou o jogo como todos os portugueses excepto Carlos Queiroz e Oceano Cruz, primeiro na defesa abnegada da baliza portuguesa, depois de chamar nomes à mãe do VAR, comportamento que se aceita.

Pepe

Excelente treino para a marcação impiedosa que fará a Luis Suarez. Um corte magistral aos 57 minutos, um sprint épico aos 68’ a evitar que um iraniano se entusiasmasse no flanco esquerdo e um corte vital aos 70’, entre outras intervenções preciosas, foram mais do que suficientes para mostrar que está pronto para sábado. Só lhe falta mesmo afiar os dentes para vingar Chellini no próximo sábado.

Fonte

Elevados níveis de competência na tarefa que mais vezes foi chamado a desempenhar, nomeadamente impedir os iranianos de invadirem o espaço aéreo português, um feito notável para um indivíduo de Penafiel sem qualquer espécie de brevet.

Raphaël Guerreiro

Continua a recuperar a olhos vistos. Hoje voltou a atar os próprios atacadores e chegou a correr com bola na segunda parte, arrancando alguns lances individuais a fazer lembrar o Guerreiro que há em Raphaël, que isto sem azeite não sabe tão bem. Ainda vai fazer mais alguns exames médicos, mas tudo indica que estará apto para defrontar o Uruguai!

William

A posição ocupada no terreno, a calma que demonstra em situações de alta tensão e a sua capacidade de ler o jogo serão fundamentais para conter as iniciativas ofensivas da equipa iraniana. É esperado no estádio a qualquer momento.

Adrien Silva

Dos 73% de posse de bola com que Portugal terminou o jogo de hoje, a melhor parte pertenceu a Adrien Silva. Não lhe disseram no entanto que iria substituir João Moutinho e William Carvalho em simultâneo, o que dificultou algumas das suas acções sem bola e facilitou outras, como por exemplo perguntar a William que raio se estava a passar. Um dos melhores em campo.

João Mário

Eu sabia que ele não devia ter jogado engripado. O quê? Como assim? Ele não está doente?

Ricardo Quaresma

Tal como naquele mítico gif que circula por essa internet fora, Ricardo Quaresma voltou a agarrar o destino pelos testículos e enfiou-lhe uma trivela em cheio nas ventas. Depois enfiou mais uma ou duas frutas em iranianos que precisavam de baixar a bolinha, mas bom, quem nunca desejou mal a um iraniano que atire a primeira bomba.

Ronaldo

Falhou um pénalti e uma agressão a um iraniano, mostrando que até os melhores desportistas da história têm dias maus. Compensará como só ele sabe.

André Silva

“O seu melhor lance no jogo foi quando tirou a camisola no final.”

  • todas as mulheres que assistiram ao jogo de hoje

Bernardo Silva

Lembram-se de alguma ver ter visto um beto substituir um cigano em funções consideradas vitais para um país e a coisa ter corrido bem? Pois. Nem eu. Seria pedir demais ao pequeno génio Bernardo Silva, de quem ainda assim se espera que nas próximas três semanas flicta pelo menos três vezes para o interior vindo da ala direita e enfie a bola na baliza ou na cabeça de Ronaldo.

João Moutinho

Nunca saberemos exactamente o que lhe disse Carlos Queiroz quando se preparava para entrar em campo. Não sei quanto a vocês, mas eu vivo lindamente com isso.

Gonçalo Guedes

Eu sei que custa aceitar quando se odeia a nossa seleção, mas Portugal não perde há 17 jogos em fases finais. Nenhuma outra seleção europeia conseguiu igual feito. Que la siguen chupando.