Tribuna Expresso

Perfil

O desporto como nunca o leu: a newsletter Tribuna 12.45.
Todas as segundas-feiras, à hora marcada

Ao subscrever, a informação partilhada será usada de acordo com a Política de Privacidade

  • Numa crónica em que coabitam Vítor Oliveira, Sérgio Conceição e nomes como Vítor Urbano, Vítor Manuel e José Romão, Bruno Vieira Amaral fala-nos da diferença entre treinadores com cara sofredora do pontinho e da retranca e aqueles que não especulam na hora de afirmar a sua liderança

  • Jorge Fonseca é o primeiro judoca português campeão do mundo, feito que celebrou com uma dança notável que se tornou viral. “Saiu-me”, diz ele nesta entrevista ao Expresso em que recorda celebrações, a paternidade precoce e o cancro que o levou a sessões duríssimas de quimioterapia

  • Carlitos cresceu na zona da Arrentela com o sonho de um dia vingar no Benfica. Chegou lá, mas nunca conseguiu impôr-se no clube que, segundo ele, preferiu enviá-lo para fora a vê-lo em clubes rivais: “fizeram de mim o que quiseram”. Diz que ainda se encontrou com Pinto da Costa, Carolina Salgado e um agente num restaurante fechado só para ele, mas teve medo do presidente do FCP. Confessa que perdeu a cabeça com roupas de marca e carros, mas assume ter amadurecido depois de estar ano e meio sem receber ordenado, na Alemanha. Dedicado aos negócios da construção, vendeu uma casa a Coates, embora gostasse de continuar a jogar futebol. Aos 37 anos, anda à procura de clube

  • Roubaram-lhe o passaporte nos EUA, adiou a partida para o Japão, o voo atrasou por causa de um furacão, aterrou em Tóquio, deram-lhe o visto, voou para Miyazaki, deixou as malas no aeroporto e foi direto para a praia. Faltavam nove minutos para a bateria acabar, mas, com calções de rua e uma prancha emprestada, Ítalo Ferreira conseguiu ganhar o heat e sobreviver uma aventura de loucos

  • Neste dia, há 20 anos, uma adolescente de 17 anos, musculada e potente, vinda de um bairro pobre, onde membros de gangues viam o pai a treiná-la depois de ele próprio estudar ténis, ganhou o seu primeiro Grand Slam. Entretanto, Serena Williams ganhou mais 22, foi mãe, teve uma depressão e lesionou-se, mas continua a ser a lenda do ténis que desafia a idade

  • O monegasco da Ferrari venceu o GP de Itália, mantendo à vez os dois Mercedes à distância. Apesar da pressão constante, Leclerc teve o sangue frio, a capacidade técnica e, claro, a velocidade de ponta do monolugar da scuderia para somar o segundo triunfo seguido, depois de Spa. *Título roubado ao mítico Allô, Allô

  • Há 24 anos, uma África do Sul a tentar renascer socialmente no pós-Apartheid organizou o Campeonato do Mundo de râguebi, no qual Nelson Mandela viu uma oportunidade de unir o povo em torno de um desporto associado à população branca e opressora. Os springboks, que estavam longe de serem favoritos, conquistaram a prova com apenas um jogador negro na equipa, Chester Williams, que faleceu esta sexta-feira, aos 49 anos

  • Jason Stevenson nunca quis ser o centro da atenções: não inclui o nome nas pranchas que fabrica, apenas as iniciais, mais um símbolo de um trator, em memória do pai, que trabalhava nas minas de sal em North Stradbroke, na Austrália. Ele é um dos líderes da indústria, é quem faz as pranchas para Frederico Morais e esteve em Portugal para lhe desenhar mais algumas, na Ericeira. Diz que o português é dos surfistas mais fáceis com quem trabalhar e, por oposição, recorda como Andy Irons achava, sempre, que "as pranchas de toda a gente eram melhores do que as dele"