Tribuna Expresso

Perfil

  • A esta distância e com outra frieza, o incidente com Marega deve merecer alguma reflexão e várias considerações. A primeira é a de que é errado (e muito injusto) confundir a árvore com a floresta. Guimarães é uma cidade lindíssima, o Vitória SC um clube gigante e a maioria dos seus adeptos devotos e apaixonados. A segunda é a de que foi claro, para todos, que ninguém estava à espera que aquilo acontecesse. E por "aquilo" não me refiro ao facto de meia dúzia de jumentos divertirem-se a imitar sons de babuíno. Refiro-me à coragem do atleta em dizer: "Basta!!"

O desporto como nunca o leu: a newsletter Tribuna 12.45.
Todas as segundas-feiras, à hora marcada

Ao subscrever, a informação partilhada será usada de acordo com a Política de Privacidade

  • Mike “Iron” Tyson perdeu há 30 anos o combate que ainda hoje é o maior upset da história do boxe. James “Buster” Douglas, o homem que o venceu, vive agora gordo e feliz num hotel. Tyson é o dedicado proprietário de uma plantação de marijuana

  • É difícil definir Simon Kuper: nascido no Uganda, enquanto cidadão britânico, cresceu na Holanda e vive atualmente em Paris, onde já requisitou a cidadania francesa, desapontado com o desfecho do Brexit. Começou a carreira de jornalista no “Financial Times”, em 1994, cobrindo “assuntos sérios”, como descreve o próprio, até perceber que não conseguia largar a escrita sobre desporto - venceu prémios com os livros “Football Against the Enemy” e “Soccernomics” e, hoje, divide-se entre o desporto e a política, dois assuntos que têm muito mais a ver um com o outro do que as pessoas pensam, conforme explicou numa conferência do Clube de Lisboa e em entrevista à Tribuna Expresso

  • Acordou com visão dupla, foi ao hospital, disseram-lhe que era stress, mas a segunda opinião que o mandou fazer exames fê-lo entrar, um dia, num consultório em Coimbra onde uma médica a quem "faltou sensibilidade" lhe disse logo que tinha Esclerose Múltipla. A primeira coisa que Miguel Rocha perguntou foi se podia continuar a surfar. Continuou, sagrou-se campeão nacional três vezes (2016, 2017 e 2018), não parou de praticar desporto e só “uma mulher, uma vez”, lhe escreveu no Facebook que o “queria ver daqui a cinco anos”. Já passaram quatro e Miguel, aos 36 anos, tem dois trabalhos, tenta surfar todos os dias e até joga à bola com os amigos