Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE

O desporto como nunca o leu: a newsletter Tribuna 12.45.
Todas as segundas-feiras, à hora marcada

Ao subscrever, a informação partilhada será usada de acordo com a Política de Privacidade

  • O francês deverá comparecer a 19 de outubro perante um juiz, "a fim de ser notificado pessoalmente para que, no prazo de 10 dias, ingresse voluntariamente num centro penitenciário à sua escolha" para cumprir uma pena de seis meses", de acordo com uma informação do jornal "AS". Em causa está o incumprimento de uma ordem de afastamento entre o jogador e a sua mulher, a qual foi decretada após um "delito de maus tratos no âmbito familiar", cometido na rua

  • A ida de Bebé para o United entrou diretamente para o topo do anedotário futebolístico-empresarial, mas é bom não esquecer que, no meio de transferências especulativas, jogadas de bastidores, negociatas de empresários, estava um jovem jogador tão ou mais atónito com o que lhe estava a acontecer do que o espetador comum, escreve Bruno Vieira Amaral. Mas, sem esta contratação histórica — considerada uma das mais bizarras da história do gigante inglês — talvez hoje não estivéssemos a falar de Bebé, que está hoje no Rayo Vallecano e teve um trajeto bastante razoável

  • Aos 28 anos, a espanhola Brenda Pérez vive a primeira experiência no estrangeiro, e não está a correr nada mal, depois dos golos ao Benfica e da conquista da Supertaça. Em tempos, num programa de televisão, mascarou-se de rapaz para combater o machismo e os estereótipos no futebol. "Está melhor hoje, são conscientes de que é um desporto de miúdos e miúdas"

  • A primeira vez que o FC Vizela subiu à I Divisão Nacional foi em 1985, alegria que durou uma época. De novo entre a elite do futebol português, o clube espera fazer história pela mão de Álvaro Pacheco, treinador que aos 48 anos debuta na I Liga, após uma dupla subida. Nascido em Luanda numa família humilde, cresceu e vive na Lixa, e sempre jogou a avançado, posição que lhe moldou o gosto por equipas de futebol positivo. Um arranque trôpego (uma vitória, dois empates e duas derrotas) que não o fará ser mais calculista na I Liga: "Enquanto jogador tive vários treinadores e cativavam-me os que me incentivavam a sair da minha zona de conforto. É esse o meu ADN"