Tribuna Expresso

Perfil

O desporto como nunca o leu: a newsletter Tribuna 12.45.
Todas as segundas-feiras, à hora marcada

Ao subscrever, a informação partilhada será usada de acordo com a Política de Privacidade

  • O tenista grego começou o ano a atirar uma raquete ao chão e, inadvertidamente, a acertar no pai. Depois confessou que os progenitores estavam "demasiado envolvidos" na sua vida e a mãe até apareceu, de surpresa, numa conferência de imprensa a confrontá-lo amigavelmente com a história. Stefanos Tsitsipas, 22 anos, diz agora que cresceu e "já não [quer] mais ser um miúdo", está no ATP Finals de Londres e terá de ganhar a Rafael Nadal esta quinta-feira (20h, Sport TV3) para continuar a defender o título

  • Aos 24 anos, o nadador natural da Flórida está a brilhar na etapa de Budapeste da Liga Internacional de Natação. Na segunda-feira, tornou-se no primeiro homem a bater a barreira dos 50 segundos nos 100 estilos e daqui a nove meses, nos Jogos de Tóquio, poderá tentar igualar os oito ouros olímpicos de Phelps. Perfil de um homem profundamente religioso e eternamente insatisfeito

  • Marcou o golo que apurou a Hungria para o Europeu, nos descontos, contra a Islândia, depois de correr, correr e correr com a bola, coisa que Toni Kroos, a quem já foi comparado, talvez não fizesse. Dominik Szoboszlai tem 20 anos, joga no RB Salzburgo, é dono de técnica fina, um dos seus fortes é a forma como bate livres diretos, diz-se que tem vários gigantes europeus atrás dele e, se tudo correr bem, vai defrontar Portugal no próximo Campeonato da Europa

  • O Arsenal paga €390 mil por semana a Mesut Özil para o alemão não jogar desde março e o treinador já disse que apenas se deve a "razões futebolísticas". Mas o jogador escreveu nas redes sociais sobre uma minoria muçulmana perseguida na China, foi um dos que se recusou a cortar o salário sem garantias de que o clube mantivesse os postos de trabalho de outros funcionários e ofereceu-se a pagar o ordenado do responsável pela mascote quando, de facto, o Arsenal anunciou o despedimento de 55 pessoas. E agora Özil está num limbo em que é um acérrimo apoiante do clube nas redes sociais, mas não joga, é pintado como o mau da fita e não quer ir embora até terminar o contrato