Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
A casa às costas

Fonte: "O Sporting dispensou-me aos 13 anos, o meu pai dizia que era melhor agarrar-me aos estudos. Mas eu sabia que tinha qualquer coisa"

José Fonte começa por contar porque não se adaptou a Lisboa em criança e por causa disso passou dois anos longe dos pais e do irmão, Rui Fonte. Em pequenino queria ser bombeiro como o avô e diz que foi difícil o inicio de carreira. A dispensa do Sporting aos 13 anos foi um golpe muito duro, mas que só lhe alimentou o fogo interior. Sem conseguir vingar em Portugal, foi em Inglaterra que acabou por amadurecer e brilhar. Esta é a primeira parte da entrevista a José Fonte

Alexandra Simões de Abreu

Aurelien Meunier

Partilhar

Nasceu em Penafiel, filho do jogador Artur Fonte. E a sua mãe, como se chama e o que fazia profissionalmente?
Quando eu nasci, a minha mãe, Diana Rocha, era muito jovem, tinha 17 ou 18 anos, devia estar ainda a estudar. Acabou o curso de professora primária mais tarde, quando o meu irmão já era nascido.

Como era em criança? Fazia parte do grupo dos mais calmos ou era irrequieto?
Eu era mais tranquilo, o meu irmão é que era o reguila, ele é que fazia os estragos todos [risos].

Lembra-se de ver o seu pai jogar?
Lembro, e de ir ao balneário ter com ele. Ainda me lembro vagamente disso.

Viveu em Penafiel até que idade?
Se não me engano até aos sete anos. Depois, os meus pais foram viver para Lisboa, eu ainda fui com eles, mas não me adaptei na escola e pedi à minha mãe para viver com os meus avós outra vez em Penafiel.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler