Tribuna Expresso

Perfil

Análise

Escoceses, mas pouco: o Rangers de Steven Gerrard que o Braga vai encontrar

Depois de ter encontrado o FC Porto na fase de grupos da Liga Europa, o Rangers recebe agora o Sporting de Braga (20h, SportTV2), na 1ª mão dos 16 avos de final da prova. Conheça os pontos fortes e os pontos fracos da equipa liderada por Steven Gerrard

Tiago Teixeira

Alan Harvey - SNS Group

Partilhar

O Rangers de Steven Gerard é o atual 2º classificado da Liga escocesa, a dez pontos (podem reduzir para sete caso ganhem o jogo em atraso) do líder Celtic.

Na Liga Europa, num grupo com FC Porto, Young Boys e Feyenoord, a formação escocesa garantiu a passagem aos 16 avos de final ao terminar em segundo lugar, com nove pontos, a um da formação azul e branca (contra os portistas, o Rangers ganhou 2-0 e empatou 1-1).

Ideia de jogo e principais pontos fortes

O Rangers de Gerard tem sido uma agradável surpresa esta época, muito por culpa do critério com que procuram chegar ao último terço, algo que não é muito habitual na maioria das equipas escocesas.

Organizados em 4x3x3, encaram a fase de construção com paciência, de modo a progredir de forma apoiada em campo. Os extremos – Kent é o principal destaque – surgem muitas vezes em zonas interiores, no espaço entre os médios e defesas adversários, deixando a largura para os respetivos defesas laterais. Esse tipo de dinâmica é um dos pontos fortes da equipa de Gerard, e foi assim, por exemplo, que chegou ao golo no Dragão (minuto 2.45).

Quando estão no último terço, procuram triangulações entre lateral, interior e extremo, e usam e abusam dos cruzamentos, mas sempre com a preocupação de ter vários jogadores em zonas de finalização.

O ataque à profundidade, onde o avançado Alfredo Morelos surge como principal figura, é outro dos pontos fortes da equipa escocesa. Jogando o Braga com a linha defensiva subida, terá de ter muita atenção a este tipo de movimentos.

A sua transição ofensiva é também muito perigosa. Imediatamente após a recuperação da bola, saem com muita qualidade e velocidade em direção à baliza adversária (minuto 2.27 do vídeo seguinte).

No momento defensivo, a formação escocesa não abdica do seu 4x3x3, e procura condicionar a primeira fase de construção adversária, posicionando os seus dois extremos em zonas interiores. Esse posicionamento dos extremos, obriga muitas vezes os médios interiores a bascular para o corredor lateral.

Pontos fracos

A equipa de Gerard tem 16 golos sofridos em 26 jornadas na Liga escocesa, tendo sofrido 6 golos nas 6 jornadas da fase de grupos da Liga Europa. Não é uma equipa desorganizada defensivamente, mas tem alguns pontos fracos que o Braga pode explorar.

Bolas paradas defensivas

Defendem de forma mista – zona e homem a homem, e têm passado por alguns sobressaltos nesse momento do jogo. Na vitória em casa do Celtic, foram vários os cantos em que passaram por dificuldades. O primeiro lance do vídeo, e os lances aos 27 segundos e ao 3º minuto são exemplos disso mesmo.

Espaço no lado contrário à zona da bola

Sendo uma equipa que usa muito os extremos em zonas interiores, e que bascula muito os médios para a zona da bola, oferecem por vezes muito espaço do lado contrário, que o Braga pode aproveitar se variar rápido o centro de jogo. O lance ao minuto 4.32 é um exemplo desse tipo de situações.

Destaques individuais

Alfredo Morelos. É o principal desequilibrador ofensivo que Gerard tem ao seu dispor. Muita qualidade técnica, explosão e capacidade de explorar a profundidade, e com muita qualidade no momento da finalização. Já leva 29 golos marcados e 10 assistências esta época.

Ryan Kent. O extremo inglês tem estado a um nível muito bom nesta época do Rangers. Destaca-se pela facilidade com que desequilibra no 1x1 ofensivo, sendo também um extremo que gosta de se associar para progredir pelo corredor central, e de aparecer em zonas de finalização.

Cuidado com a equipa mais portuguesa da Ucrânia: como joga o Shakhtar Donetsk de Luís Castro e companhia

O Benfica vai à Ucrânia, nos 16 avos de final da Liga Europa (17h55, SIC), defrontar o Shakhtar Donetsk de Luís Castro e restante equipa técnica portuguesa. Conheça os pontos fortes e fracos da equipa que lidera o campeonato ucraniano, que está neste momento em pausa de inverno, desde dezembro do ano passado