Tribuna Expresso

Perfil

As redes, by Insónias em Carvão

O aforismo de Geraldes, a epifania de Cintra, a rima de Jota Jota, o pistoleiro poético e a ilusão de Fonseca (por Insónias em Carvão)

Esta semana, o curador implacável das redes sociais está desgraçadamente nostálgico como poderão perceber pelo título e pelas imagens que se seguem abaixo

Insónias em Carvão

Partilhar

Penso, logo jogo

Sim, sim, eu sei que a frase não é do Aristóteles, tomam-me por quem? Pronto, então aqui vou eu para o AEK, para Atenas, para onde tudo nasceu e eu espero renascer para o futebol, que isto de ler e falar é bonito e bom, mas jogar é bem melhor.

Vocês não quiseram ouvir o velho Zé, deram-se mal

Então mas a gente não ia bem posicionada no campeonato com o amigue Zé Peseiro, grande treinador e um homem experiente, bom ser humano, boa pessoa, cultiva boas relações? Porque é que o Doutor Varandas foi despedir o Zé? Não sabem que em equipa que quase ganha não se mexe?

Tropa de Elite, pega um, pega geral

Pôrra, estava de folga e agora tenho de andar aqui correndo por causa desse cara que deve pensar que é o Capitão Nascimento. Aí, velho, pega leve que ainda tenho o chope cá dentro.

Lonesome cowboy

Aqui segue Jonas rumo a um poético pôr-do-sol em Monument Valley - as referências do Insónias estão trocadas, mas, bom, não estraguem o simbolismo desta imagem. Adeus e até à próxima reencarnação.

Outra vez, não

E então Paulo Fonseca chegou à Roma e pôs o cachecol da Lazio nas mãos e falou em francês. Tudo errado, como daquela vez em que confundiu a Beira Baixa com a Baixa da Banheira, ou, vá, o Eintracht com o Bayern. Mas esses foram outros tempos