Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

A história trágica de Jose, o adepto que perdeu tudo e a quem dono do Leicester dera muito

Jose Ragoobeer perdeu a esperança num dia em que a tragédia tocou na sua família. Foi Vichai Srivaddhanaprabha quem lhe deu a mão, como fez a muitas outras pessoas. Porque o dono do Leicester era um homem benemérito

Expresso

Vichai faleceu num acidente de helicóptero no último sábado

Serena Taylor

Partilhar

Enquanto alguns jogadores partilhavam aquele emoji das mãos juntas, esboçando uma reza, Kasper Schmeichel foi mais além. Verbalizou. O dinamarquês escreveu sobre alguém especial, que lhe explicou o caminho para o céu aquando da assinatura do contrato (“em seis anos estaremos na Liga dos Campeões”). Kasper descreveu Vichai Srivaddhanaprabha, o dono do Leicester que morreu num acidente de helicóptero no sábado, como um homem único, que tinha tempo para todos e semeava o bem pela comunidade. “Transformou os meus sonhos em realidade”, disse o guarda-redes do Leicester, que venceu a Premier League em 2016.

Jose Ragoobeer, um adepto dos foxes, caminhava nas imediações do estádio King Power na ressaca da tragédia. Estava transtornado. “Eles fizeram coisas boas pela comunidade”, começou por dizer à ITV News Central.

Por detrás daquela frase estava a dor de alguém que perdeu a mulher e os dois filhos na explosão que abalou Leicester nos últimos dias de fevereiro. “Nunca mais vai ser o mesmo. Nunca”, explicou numa entrevista à BBC, a 20 de abril. “A Mary dedicou a sua vida aos seus filhos. Assegurava-se que eles tinham os seus kits de desporto e que podíamos pagar as visitas de estudo da escola. Ela fazia tudo por eles.”

Apesar dos pensamentos que então o assombravam todas as noites, descobriu coragem e agarrou-se ao amor da família para olhar por Scotty, o filho de 15 anos que sobreviveu.

Srivaddhanaprabha, sabe-se agora, deu a mão a Ragoobeer e até deixou a sua família chorar quem partira numa das salas do clube. A revelação chegou ontem. “Recentemente perdi a minha mulher e filhos no fogo. Eles [clube] foram bons para mim, deram-me muito apoio”, estremeceu a contar, mal segurando a voz e as lágrimas. “Eles até disponibilizaram um salão para o velório. É um grande choque para mim.”

Srivaddhanaprabha e quatro tripulantes não resistiram à queda do helicóptero, no sábado, após o jogo contra o West Ham (1-1). O tailandês, um dos responsáveis pelo conto de fadas vivido em 2016, comprou o clube em 2010 por cerca de 45 milhões de euros.

O dono do Leicester, lá está, ficará para sempre associado a outro conto de fadas: o trabalho social. Segundo o “The Guardian”, o tailandês doou recentemente mais de dois milhões de euros ao hospital para crianças de Leicester e ainda mais de um milhão para a universidade da cidade. O apelido complicado que usa foi-lhe colado pelo rei Bhumibol, o homem que esteve no trono da Tailândia durante sete décadas, reconhecendo o serviço comunitário que foi desenvolvendo. Srivaddhanaprabha significa “luz da glória progressiva”. O monarca morreu em 2016, três meses depois de o Leicester conquistar a coroa da Premier League, com Vardy, Mahrez, Kanté, Kasper e companhia.

Vichai Srivaddhanaprabha tinha 60 anos.

  • As imagens da queda do helicóptero que vitimou o dono do Leicester

    Atualidade

    Um vídeo divulgado esta segunda-feira mostra o momento em que o helicóptero do presidente do Leicester se despenhou, no sábado, à saída do Estádio King Power. As imagens de videovigilância mostram o aparelho levantar voo e a cair logo depois, quando passava pouco tempo das 20:30, perto do estacionamento junto ao estádio do clube. O incidente causou cinco mortos, incluindo o dirigente Vichai Srivaddhanaprabha.