Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Nantes quer que a FIFA obrigue o Cardiff a pagar a transferência de Sala

Emiliano Sala morreu aos 28 anos num acidente de avião, que desapareceu dos radares na noite de 21 de janeiro, sobre o Canal da Mancha.

Aaron Chown

Partilhar

O Nantes recorreu à FIFA para receber do Cardiff o valor da transferência de Emiliano Sala, suspenso pelo clube galês após a morte do avançado argentino num acidente de avião, confirmou esta quarta-feira o organismo regulador do futebol mundial.

"Podemos confirmar que recebemos na terça-feira à noite uma queixa do Nantes contra o Cardiff, relativa à transferência de Emiliano Sala", disse à agência de notícias francesa AFP um porta-voz da FIFA.

Após a morte do jogador, em consequência de num acidente de avião sobre o canal da Mancha, quando se deslocava para o novo clube, o Cardiff suspendeu um primeiro pagamento de seis milhões de euros (ME), de um valor total de 17,3 milhões de euros.

"Estamos a estudar este caso e, portanto, não temos outros comentários a fazer no momento", acrescentou a mesma fonte.

Emiliano Sala morreu aos 28 anos num acidente de avião, que desapareceu dos radares na noite de 21 de janeiro, sobre o Canal da Mancha, pouco tempo depois de se ter transferido do Nantes para o Cardiff.

O corpo do avançado argentino foi encontrado nos destroços do avião e recuperado em 7 de fevereiro, mais de duas semanas após o desaparecimento da aeronave, perto na ilha de Guernsey.

O Nantes enviou uma carta no início de fevereiro dando 10 dias ao Cardiff para pagar o primeiro terço do valor da transferência de Sala, antes de iniciar o processo perante a FIFA, de acordo com os regulamentos da instituição.

O clube galês disse que queria aguardar as primeiras conclusões do relatório de investigação do acidente para ver se algumas das responsabilidades poderiam ser atribuídas ao clube francês.

O Nantes argumenta que o Certificado Internacional de Transferência (CIT) de Emiliano Sala do Nantes para o Cardiff foi registado pelo clube galês antes do acidente, pelo que o argentino não estava mais sob a sua responsabilidade.

De acordo com um relatório preliminar ao acidente divulgado na segunda-feira, a aeronave que transportava Emiliano Sala e pilotada por David Ibbotson, cujo corpo continua desaparecido, não possuía licença para voos comerciais.