Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Vítor Pereira condenado a 8 meses de prisão com pena suspensa. Por incentivo à violência

O caso remonta a fevereiro de 2015, num Panathinaikos-Olympiakos. A postura do treinador português deu origem ao lançamento de objetos, entre eles materiais pirotécnicos, e a uma invasão de campo por parte dos adeptos rivais

Tribuna Expresso

Reuters Staff

Partilhar

O treinador português Vítor Pereira foi condenado a oito meses de prisão com pena suspensa pelos gestos e atitude num dérbi de Atenas, algo que o tribunal da cidade definiu como incentivo à violência. O Panathinaikos-Olympiakos é um dos dérbis mais escaldantes do futebol mundial.

O caso remonta a fevereiro de 2015. A postura do treinador português, na altura no Olympiakos, deu origem ao lançamento de objetos, entre eles materiais pirotécnicos, e a uma invasão de campo por parte dos adeptos do Panathinaikos. O dérbi acabaria por ser vencido pelo Panathinaikos (2-1).

Naquela altura os episódios de violência repetiam-se na Grécia, por isso a liga daquele país suspendeu o campeonato por tempo indeterminado. Alguns dias depois daquele Panathinaikos-Olympiakos, os presidentes dos clubes envolveram-se em confrontos durante uma reunião do comité diretivo da Liga Grega.

"Nós temos um novo Governo que quer trazer este assunto à discussão e implementar novas regras", disse então Yorgos Borovilos, o responsável pelo campeonato da primeira liga.

O treinador português ainda não reagiu publicamente à sentença.