Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Quaresma: “Pago impostos em Portugal, posso dar opiniões sobre o senhor Ventura - que se tornou conhecido por defender o clube dele”

O jogador português, num direto no Facebook na página do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), voltou a referir-se ao deputado do Chega, o qual, relembra, "se tornou conhecido por falar de futebol". "Tenho pai cigano, mãe cigana. Só quero que o racismo acabe"

Tribuna Expresso

Michael Regan - FIFA

Partilhar

Recuperando: André Ventura disse que iria apresentar um plano de confinamento para a população cigana e, na terça-feira à noite, Ricardo Quaresma reagiu num post no Facebook em que criticava abertamente o deputado do Chega. Chamou às suas políticas "populismo racista".

Depois, Ventura contra-atacou o extremo português, garantindo que não iria voltar atrás na sua proposta e disse que Quaresma não tinha nada de misturar futebol com política. "Era melhor que ele usasse o seu prestígio para sensibilizar a sua comunidade a cumprir as mesmas regras dos cidadãos nacionais". Em entrevista ao jornal i, Ventura repisou os mesmos argumentos.

A seguir, Quaresma publicou, no twitter, uma história do seu tio-avô, ex-jogador de futebol que recusou a saudação nazi e por isso foi detido durante o Estado Novo; e à noite, num direto no Facebook, em entrevista ao Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), o futebolista de 36 anos disse que já tinha dissera "o que tinha a dizer".

“Por acaso vi a resposta do senhor André Ventura. Sinceramente, não percebi. Por ele dizer que os jogadores não devem meter-se na política. Ele não pode esquecer que ficou conhecido por defender o clube dele, ficou conhecido por falar de futebol”, lembrou Quaresma, prosseguindo: “Não quero estar a dar mais canal ao senhor André Ventura. Eu pago impostos em Portugal, por isso sou um cidadão que também tem direito a dar opinião. Esse tema está fechado, quero é que acabe essa parte dos racismos. Para mim é difícil ouvir esses comentários. Tenho um pai que é cigano, uma mãe que é cigana. Não vou alimentar mais esta situação”.