Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

O que as juízas escreveram sobre Bruno de Carvalho

Acórdão do tribunal esmiúça os episódios mais polémicos que envolveram o ex-presidente do Sporting. Sempre em sentido contrário da acusação

Hugo Franco

Bruno de Carvalho foi ‘ilibado’ pelo Ministério Público nas alegações finais do caso de Alcochete

MÁRIO CRUZ/LUSA

Partilhar

O ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho foi absolvido pelo coletivo de juízes, liderado por Sílvia Pires, de todos os crimes de que tinha sido acusado em novembro de 2018 pela procuradora Cândida Vilar. 924 dias depois, caem por terra as suspeitas de que foi o autor moral da invasão da Academia de Alcochete e os crimes de ofensa à integridade física qualificada, ameaça agravada, sequestro, terrorismo ou detenção de arma proibida.

No acórdão do tribunal, a que o Expresso teve acesso, as três magistradas dedicam oito páginas ao arguido mais mediático de um processo com um total de 44 atores (e que fez nove detidos com pena efetiva).

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.