Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Ex-agente de Lewandowski preso por fraude, extorsões e 20 milhões de euros

O jogador do Bayern de Munique não perdoa ao seu antigo representante por ter tentado extorquir-lhe dinheiro

Tribuna Expresso

Michael Regan - UEFA

Partilhar

Robert Lewandowski continua a marcar golos, certamente muito pouco preocupado com o que acontece ao seu ex-agente Cerazy Kucharski, detido após a denúncia do avançado do Bayern de Munique. Em causa estarão as ameaças recebidas por Lewandwski para que fizesse um pagamento de 20 milhões de euros por uma alegada dívida do polaco.

De acordo com o jornal “Onet Sport”, agente e jogador romperam a sua ligação em 2018, na altura em que Lewandowski renovou com o Bayern. Kucharski tentou em diferentes ocasiões levar o futebolista para o Real Madrid, mas isso acabou por nunca acontecer devido à recusa dos bávaros em negociar. Atualmente, o representante do jogador é Pini Zahavi.

Supostamente, Kucharski e Maik Barthel, agente alemão do jogador, terão enganado Lewandowski, dizendo-lhe que ia renovar com o Bayern por quatro anos e que iria receber 15 milhões de euros. O polaco aceitou. Mais tarde, Lewandowski viu o documento e constatou que o contrato era de cinco anos e o salário de 14 milhões. Apesar da surpresa, o avançado assinou na condição de os empresários cobrirem a diferença de um milhão.

Nessa altura, a relação terminou e houve denúncias e a consequente intervenção das autoridades polacas, que detiveram o agente. Lewandowski não está a ser acusado de nada, apesar das acusações a Kuckarski por se ter apropriado de 20 milhões de euros de empresas que ambos detinham.