Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

O presidente do COI está “muito confiante” de que haja espetadores nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Thomas Bach tem trabalhado com o primeiro-ministro japonês para garantir a segurança dos atletas e esperar que possa haver público nos eventos das diversas modalidades

Tribuna Expresso

Justin Setterfield/Getty

Partilhar

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI) admitiu que está “muito confiante” de que haverá espetadores ao vivo nas Olimpíadas do próximo ano, em Tóquio. Thomas Bach está de visita ao Japão para se encontrar com o novo primeiro-ministro do país e acertar detalhes relativos ao evento olímpico.

Na terça-feira, Bach tem agendada uma visita à aldeia olímpica e ao principal estádio dos Jogos Olímpicos, um empreendimento de mais de um milhão de euros. O dirigente do COI disse que tanto ele como Yoshihide Suga estão “totalmente alinhados na determinação e na confiança de que os Jogos Olímpicos e os Jogos Paralímpicos vão ser um grande sucesso”. “Isso faz com que estejamos muito confiantes de podermos ter espetadores.”

A organização japonesa está ainda a aprender a lidar com o desafio logístico de garantir a segurança de mais de 11.000 atletas e de milhares de árbitros, jornalistas e muitas outras pessoas que vão estar envolvidas no evento.

A decisão relativamente à presença de espetadores nos recintos deverá ser tomada na primavera. Neste momento, há várias opções em vista, como a realização de testes antes e depois de chegarem ao Japão, ou a limitação da presença de público de países onde a pandemia esteja mais ou menos controlada.

O recente anúncio de uma vacina eficaz contra a Covid-19 melhorou as perspetivas de um evento mais convencional, mas não existem garantias de que um número significativo de pessoas tenha sido vacinado a 23 de julho, data do início do evento. Bach disse que o COI vai fazer tudo para que os atletas sejam vacinados, mas apenas “se uma vacina estiver disponível nessa altura”.

O Japão tem tido menos casos e menos mortes, mas vários especialistas têm avisado que o país pode entrar numa terceira vaga, com infeções diárias como nunca até agora. “Expliquei que estamos a considerar várias formas de termos espetadores e eu e o presidente Bach estamos a trabalhar juntos para que tenhamos uma Olimpíada segura,” afirmou Suga.