Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Atualidade

O empresário que agrediu repórter da TVI após o jogo do FC Porto já tinha estado envolvido em ato violento. Com o filho de Pinto da Costa

Pedro Pinho já antes escapou a julgamento por ameaças à integridade física a empresário de futebol

Isabel Paulo

Partilhar

Pedro Pinho, ex-sócio e amigo de longa data de Alexandre Pinto da Costa, tem a licença de agente de profissionais de futebol suspensa desde quinta-feira, pelo Conselho de Disciplina, e pode incorrer na perda de funções, se a Comissão de Intermediários da FPF, onde tem ainda assento a Liga, o Sindicato dos Jogadores e a Associação Nacional de Agentes, deliberar que o agressor do repórter de imagem da TVI Francisco Ferreira não tem idoneidade para voltar a exercer o cargo. A inibição do exercício de funções de agente pode estender-se a nível internacional, de acordo com o Código Disciplinar da FIFA. Na sanção, que pode ir da advertência à expulsão da lista de agentes certificados, não deixará de pesar o facto de Pedro Pinho ser repetente no recurso à violência, ato desta vez divulgado na televisão no final do jogo entre FC Porto e Moreirense, que acabou empatado.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.