Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Atualidade

Final da Champions: FC Porto pede demissões no Governo por dois pesos e duas medidas

Críticas duras do diretor de comunicação do clube nortenho ao Governo depois da final da Liga dos Campeões no Estádio do Dragão este sábado

Hugo Franco

DAVID RAMOS/Getty

Partilhar

O diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, produziu duras críticas ao Governo na sua conta no Twitter, após a final entre o Manchester City e o Chelsea realizada no Estádio do Dragão, com 16.500 pessoas nas bancadas a assistir ao jogo.

"Depois disto o ministro da Educação [Tiago Brandão Rodrigues] e o secretário de Estado da Juventude e Desporto [João Paulo Rebelo] só podem demitir-se. A falta de vergonha desta gente faz com que hoje tenha havido um jogo com milhares de pessoas e amanhã há um jogo de basket a que nem os familiares dos atletas podem assistir".

Noutro tweet, Francisco J. Marques acusou mesmo o Governo de mentir aos portugueses.

"Disseram que os adeptos dos finalistas da Champions vinham em bolha, mas todos os portugueses viram que não houve bolhas nenhumas e que os responsáveis mentiram ao país. Oxalá o preço destas falsidades não seja muito alto."

O diretor de comunicação atacou a política de dois pesos e duas medidas usadas pelo Governo em relação ao público nas bancadas nos estádios de futebol.

"Do desporto e dos adeptos de desporto só querem duas coisas, o dinheiro dos impostos e os votos das eleições. Eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada. Bem, se forem ingleses deixam… é uma espécie de xenofobia invertida."

Francisco J. Marques lembrou ainda a existência de público num concerto realizado neste sábado no Super Bock Arena, no Porto.

"Está imagem é do Super Bock Arena ontem à noite, com 2500 pessoas a assistirem ao concerto dos Black Mamba, mas o FC Porto-Sporting de basket, amanhã à tarde, vai ter zero. E o mesmo acontece nos jogos da formação, que nem os pais podem assistir. Digam lá que o governo não goza"