Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Atualidade

Biden recebeu proposta para boicotar diplomaticamente Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Se se confirmar, nenhum representante do Governo norte-americano vai acompanhar os atletas norte-americanos na deslocação à China

Helena Bento

BRENDAN SMIALOWSKI

Partilhar

Os EUA podem boicotar os Jogos Olímpicos de Inverno que vão decorrer em Pequim, na China, de 4 a 20 de fevereiro de 2022. A decisão ainda não está tomada, mas Joe Biden, Presidente norte-americano, prepara-se para assinar um documento nesse sentido, em protesto contra a violação de direitos humanos no país, de acordo com informação adiantada pelo “Washington Post”.

Segundo um colunista do jornal que acompanha de perto a situação política na China, Josh Rogin, foi apresentada a Biden uma proposta de boicote diplomático, proposta esta que deverá ser assinada antes do final deste mês. Se assim for, nenhum representante do Governo norte-americano acompanhará os atletas norte-americanos na ida a Pequim.

Xi Jinping e Joe Biden tiveram uma reunião virtual na segunda-feira (madrugada de terça em Portugal), mas o assunto não terá sido discutido no encontro. “Essa não foi uma matéria abordada durante a reunião”, garantiu Andrew Bates, um dos assessores de Biden, que se escusou a adiantar mais informação sobre o assunto.

No encontro, Biden manifestou a sua “preocupação em relação às políticas e práticas do Governo chinês em Xinjiang, no Tibete e em Hong Kong e ao respeito pelos direitos humanos no geral”, segundo um comunicado da Casa Branca.

A imposição de um boicote como o descrito foi defendida tanto por democratas, incluindo Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, como por republicanos. Alguns destes, aliás, defenderam que nenhum atleta norte-americano deveria participar na competição.

Na semana passada, Antony Blinken, secretário de Estado, afirmou que a Casa Branca e os seus aliados estão em “conversações” para decidir que posição assumir face ao evento desportivo de Pequim.