Tribuna Expresso

Perfil

Automobilismo

As seis horas de Spa-Francorchamps foram de Filipe Albuquerque

O piloto português venceu, no sábado, a primeira corrida do Mundial de Resistência na categoria LMP2, na qual é o campeão em título. A prova foi especialmente simpática para os português, pois António Félix da Costa acabou no segundo lugar

Lusa

Dean Mouhtaropoulos/Getty

Partilhar

O piloto português Filipe Albuquerque, da equipa United Autosports, venceu, no sábado, a classe LMP2 das 6 Horas de Spa-Francorchamps, primeira prova do Mundial de Resistência (WEC), que teve o compatriota António Félix da Costa, da JOTA, como segundo classificado.

A equipa composta por Filipe Albuquerque, Phil Hanson e Fabio Scherer largou da pole position e arrecadou a primeira vitória da época na jornada de abertura do Campeonato do Mundo de Resistência LMP2, em que o objetivo é renovar o título de 2020.

"Foi uma semana incrível. Fomos sistematicamente os mais rápidos desde os treinos livres. Conseguimos a pole com meio segundo de avanço e ganhámos a corrida com mais de um minuto de vantagem, em que liderámos do princípio ao fim”, referiu Filipe Albuquerque.

O piloto português, que defende o título mundial da categoria, realçou o “domínio avassalador” do Oreca n.º 22 no arranque da presente temporada, considerando que “não poderia ter sido um início melhor” e endereçou os parabéns a toda a equipa pelo “excelente trabalho”.

Depois de largar da sétima posição da grelha, a equipa Félix da Costa/Anthony Davidson/Roberto Gonzalez foi subindo lugares ao longo das seis horas da prova, extraindo o máximo de rendimento do Oreca n.º 7, e terminou na segunda posição da LMP2.

"Hoje fizemos o máximo possível. Fizemos o melhor resultado que dava, claro que queremos sempre ganhar, mas com o ‘drive through’ acabámos por não conseguir lutar para lá chegar, de qualquer forma saímos daqui contentes com estes 18 pontos deste segundo lugar”, referiu Félix da Costa.

O piloto português disse ainda que a sua equipa, apesar de contente, sabe que se quer ser campeã do mundo tem que “continuar a trabalhar e a melhorar em algumas áreas”.

“Quando o objetivo é ser campeão, há que ser exigente e mesmo feliz com este resultado, queremos mais. Parabéns ao Filipe pela vitória, hoje estiveram muitos fortes, vai ser uma grande batalha, mas cá estaremos para lutar pelo título", disse.

A equipa G-Drive Racing do terceiro português em prova nas 6 Horas de Spa-Francorchamps, Rui Andrade, terminou em 13.º.

A próxima prova do FIA WEC tem lugar no Autódromo de Portimão, no fim de semana de 13 de junho.

Entretanto, já no próximo fim de semana, António Félix da Costa volta à Fórmula E, para a etapa do Mónaco, competição em que defende o título de campeão do mundo.