Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Benfica castigado com um jogo à porta fechada. Clube vai recorrer da decisão. Há um ano, Vieira disse não saber da existência de claques

A notícia está a ser avançada pela SIC Notícias que garante que o clube já foi notificado. A decisão vem do IPDJ e em causa está a ilegalidade das claques perante a lei. A isto soma-se uma multa

Tribuna Expresso

Gualter Fatia

Partilhar

O IPDJ considerou ilegais as claques de apoio do Benfica e portanto castigou o clube com um jogo de castigo além de uma multa de 56 mil e 256 euros. A notícia está a ser avançada pela SIC Notícias que teve acesso à decisão. A estação avança, também, que o Benfica já foi notificado da decisão do IPDJ. O SLB tem agora 20 dias para responder à ação.

Há minutos, o Benfica anunciou que vai recorrer da decisão. “Tendo tomado conhecimento de uma decisão proferida pelo IPDJ, pela qual lhe é aplicada uma coima de 56.250,00€ e uma sanção acessória de um jogo à porta fechada, a Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD informa que irá impugnar e recorrer da referida decisão, dentro do prazo legal previsto de 20 dias úteis”, lê-se no comunicado do clube.

A propósito das claques, a posição pública do Benfica tem sido sempre ambígua, pois nunca reconheceu a... existência das mesmas. Ficou célebre a conferência de imprensa de Luís Filipe Vieira, a 31 de julho de 2017, em que o presidente disse o seguinte: “Nunca soube que o Benfica tinha claques. Honestamente nunca soube. Sei que o Benfica tem sócios organizados”.

Refira-se que, há dias, o Governo demitiu Augusto Baganha e a restante direção do IPDJ.

  • Como é que se regula as claques? O IPDJ explica

    Benfica

    Os poderosos No Name Boys e Diabos Vermelhos nunca foram registados, apesar de a legalização dos Grupos Organizados de Adeptos (GOA) ser obrigatória há oito anos. Estas são as 16 respostas do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) a outras tantas perguntas do Expresso, feitas a 28 de abril de 2017, na sequência da morte de Marco Ficini, adepto atropelado por um membro dos No Name Boys, para perceber como funciona o nebuloso mundo das claques