Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Corrupção, favorecimento pessoal e violação de segredo: SAD do Benfica e Paulo Gonçalves acusados no processo e-toupeira

Informação revelada no site da PGDL. Em causa estão os crimes de corrupção, recebimento indevido de vantagem, favorecimento pessoal, violação de segredo, entre outros

Hugo Franco, Rui Gustavo e Pedro Candeias

Partilhar

O Ministério Público acusou José Augusto Silva e Júlio Loureiro, oficiais de justiça; Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica e a própria SAD benfiquista no âmbito do processo e-toupeira.

Segundo uma nota publicada no site da PGDL, em causa estão os crimes de corrupção, oferta e recebimento de vantagem indevida, favorecimento pessoal, violação do segredo de justiça, violação de segredo por funcionário, peculato, acesso indevido, violação do dever de sigilo e falsidade informática.

José Augusto Silva, que está em prisão preventiva, é acusado de ter passado a Paulo Goncalves processos judiciais que envolviam o clube e os seus rivais. Usou a password adormecida de uma magistrada e terá acedido 385 vezes a processos em segredos de justiça. contactado pelo Expresso, o advogado que o representa diz não ter sido ainda notificado da acusação. "Não faço comentários de algo que não sei".

Fonte oficial do Benfica diz não conhecer os termos concretos da acusação e promete reagir em comunicado.