Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

E-toupeira: oficial de justiça foi pago com acesso ao anel VIP do Benfica

Acusação diz que José Augusto Silva foi corrompido com acesso à mais exclusiva tribuna VIP do Estádio da Luz. Proibição de participação no campeonato é uma possibilidade real

Hugo Franco, Pedro Candeias e Rui Gustavo

Foto Action Images / Carl Recine

Partilhar

A acusação do Ministério Público no processo e-toupeira alega que o funcionário José Augusto Silva teve como contrapartida do Benfica o acesso ao anel VIP do clube. Isto é, um lugar no estádio junto à tribuna presidencial, à elite do clube e aos seus convidados. De acordo com a descrição do próprio site do Benfica, o anel VIP do estádio tem sete mil lugares "especiais", quer "pela sua localização, quer pelo "tipo de cadeiras de elevado conforto" e "restantes benefícios associados".

O MP pediu o afastamento imediato do oficial de justiça - que está preso preventivamente - e acusa-o de se ter deixado corromper e de ter passado a Paulo Gonçalves informação sobre processos em segredo de justiça que envolviam não só o Benfica, como também os rivais FC Porto e Sporting. O outro funcionário judicial acusado, Júlio Loureiro, é também observador de árbitros e o MP também pediu o seu afastamento imediato.

De acordo com a acusação, José Augusto Silva acedeu 385 vezes a processos em segredo de justiça usando a password adormecida de uma magistrada e a de dois funcionários judiciais que chegaram a ser suspeitos mas foram ilibados pelo MP.

Contactado pelo Expresso, o advogado de José Augusto Silva garante que ainda não foi notificado da acusação.

Benfica pode ser suspenso

O "Correio da Manhã" e o "Jornal de Notícias" de hoje dizem que na acusação o MP pede uma suspensão de participação no campeonato de seis meses a três anos para o Benfica, De acordo com o que a Tribuna Expresso apurou junto de fonte judicial, a suspensão é uma possibilidade que resulta do facto de a Benfica SAD ter sido acusada de "recebimento indevido de vantagem" que pode ter como consequência a referida proibição. É uma possibilidade real.