Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Benfica. Vieira deixa cair Paulo Gonçalves na Justiça

No processo ‘E-toupeira’ o Benfica garantiu ao Ministério Público que nenhum administrador da SAD “sabe o que Paulo Gonçalves sabe ou deixa de saber”. Leia tudo sobre o caso

Partilhar

Tiago Miranda

Campeón de Siglo” é o nome do estádio do Peñarol mas também o nome de um livro sobre o clube uruguaio que foi editado em outubro de 2017. No mesmo mês, no mesmo ano, no dia 17 de outubro de 2017, um dos exemplares da obra estava num dos móveis de um dos escritórios dos corredores da SAD do estádio do Benfica quando os inspetores da PJ lá entraram. Os agentes folhearam-no e encontraram lá pelo meio documentos do CITIUS com o NUIPC 5340/17.7T9LSB, a referência processual do conhecido caso dos e-mails, em que o Benfica está a ser investigado por corrupção desportiva.

O gabinete, o livro e os documentos eram de Paulo Gonçalves, assessor jurídico dos encarnados, braço-direito de Luís Filipe Vieira, ocasional redator de contratos de jogadores de futebol. E arguido no caso dos e-mails e acusado no processo ‘E-toupeira’.

Saiba mais na edição deste sábado do Expresso.