Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Rui Vitória: uma conferência sobre “racionalidade”, “lucidez”, “más fases”, conversas de “olhos nos olhos” e Krovinovic

O treinador do Benfica abordou o momento da equipa na véspera do jogo contra o Ajax (quarta-feira, 20h) que pode definir o futuro do clube na Liga dos Campeões - e o destino do próprio Rui Vitória

Tribuna Expresso

Rui Vitória, treinador do Benfica

FRANCISCO LEONG/GETTY

Partilhar

O Ajax

“O jogo de Amesterdão mostrou que o Ajax tem qualidade, mas também demonstrou um Benfica que se bateu de igual forma. O resultado foi definido num pequeno pormenor e esse encontro de Amesterdão é apenas um dos jogos que observámos deles. Para quarta-feira, é importante olhar para os atributos do Ajax, que tem qualidade na circulação de bola mas que também se expõe por vezes. Temos de ser eficazes, em termos ofensivos e defensivos.”

A fase

“Em relação aos adeptos, o que posso dizer sobre o jogo de amanhã - que é o que importa - é fundamental dar apoio à equipa. O Benfica é que tem de ter apoio, mais do que o Rui Vitória. É importante que o adversário sinta o peso dos nossos adeptos na Luz. Quanto ao resto: refletimos, analisámos, e todos nós temos a noção do momento e da importância do jogo. Uma das formas que há para enfrentar estes momentos é a coragem. Sinto uma equipa com muita convicção, com coragem; estou muito otimista”.

O voto de confiança do presidente

“Eu quero deixar bem claro: o importante é o Benfica e a equipa do Benfica ter um jogo. Questões particulares - do Rui Vitória, do presidente - não interessam. Vivo a minha vida no dia-a-dia, jogo a jogo. Não podemos perder a racionalidade e temos de ter consciência do contexto em que estamos. Neste clube, as fases e os momentos menos bons acontecem aqui e em vários clubes. É fundamental termos esta racionalidade. Há algo a que eu me agarro: a qualidade do trabalho feito e a reação nas conversas que temos no grupo, só tenho um pensamento que é ganhar o jogo. Não vale a pena pensar em algo que não se controla.”

Krovinovic

“Não vou dizer em concreto nada. O Krovinovic vai estar convocado, mas vamos ter mais gente convocada. Se ele vai jogar, se há duplo pivot... o que importa são os níveis de concentração para quarta-feira. A concentração, o foco e a entrega é que são fundamentais. É um metro atrás ou à frente, uma fração de segundo a mais ou a menos... Tudo faz a diferença, os pequenos pormenores. Toda a gente tem de levar isto para dentro do campo, porque, assim, estaremos mais perto de vencer.”

Reunião com o presidente

“Confirmo que reúno com o presidente todas as semanas, mais do que uma vez por semana. Reúno-me também com o meu diretor-geral e também com o meu diretor de comunicação. É normal. Conversámos, analisámos. Não há nada melhor do que enfrentar os problemas. Não sou de ficar resignado. Estou sempre a pensar no dia de amanhã. Conversamos em momentos bons e maus.”

Descanso

“Não olho para a questão da utilização dos jogadores de uma forma isolada. Se às vezes não se joga com o onze habitual, é porque se está a dar descanso, mas, por outro lado, também têm de jogar os melhores, não é? O Ajax também joga quase sempre com os mesmos - e não quero estar a dizer que eles estão certos ou errados. A minha equipa tem ultrapassado, desde o início da época, dificuldades grandes. E quando falo em dificuldades grandes, são os jogos. Sim, há 15 dias estávamos em primeiro lugar e tínhamos ganho ao AEK, e agora estamos em 5.º lugar. Não foi uma fase boa, foi má, temos noção disso. Mas é analisar os problemas olhos nos olhos, com lucidez. Eu já senti fases assim, inclusivamente aqui neste clube. Não se desiste à primeira. A competição não é um drama.”

A explicação

Até ao clássico tínhamos tido uma fase muito boa... Todas as equipas têm fases assim e queremos acreditar que seja apenas isso. Há várias causas e várias razões para isso, como também as houve nas fases boas. Temos de ter lucidez”