Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Luís Filipe Vieira: “Depois de muito refletir durante a noite, decidi que Rui Vitória devia continuar”

O presidente do Benfica abriu o jogo sobre as últimas 24 horas. Admitiu que na quarta-feira à noite Rui Vitória estava com um pé e meio fora do Benfica e que uma curta noite de sono o fez mudar de ideias. Recusou que Jorge Jesus tenha sido contactado, mas assumiu que muitos dos nomes falados pela imprensa estiveram em cima da mesa, mas que Vitória é o "homem certo" para o lugar certo. "Sei que há um descontentamento generalizado, porque os resultados não têm sido os melhores, mas para o projeto do Benfica é importante que o Rui Vitória continue", frisou

Tribuna Expresso

MIGUEL A. LOPES

Partilhar

Luís Filipe Vieira dirigiu-se esta quinta-feira aos jornalistas para falar da decisão de manter Rui Vitória à frente do banco do Benfica, admitindo que na noite de quarta-feira esteve em cima da mesa a não continuidade do treinador e que o técnico esteve praticamente fora do clube.

“Rui Vitória continuará a ser o nosso treinador. Não vamos esconder que se falou da continuidade ou não de Rui Vitória e as notícias não são culpa da comunicação social", começou por dizer.

"É um treinador comprometido com o projeto, lançou muitos jovens. Sei que há um descontentamento generalizado, porque os resultados não têm sido os melhores, mas para o projeto do Benfica é importante que o Rui Vitória continue", seguiu o presidente do Benfica, que sublinha que acredita que ainda é possível "conquistar tudo" esta temporada.

Luís Filipe Vieira disse ainda que a decisão da continuidade de Rui Vitória foi amadurecida durante a noite, depois de uma reunião na quarta-feira: "A estratégia do Benfica é a da estabilidade. Havia uma decisão tomada mas discuto e ouço. Dormi no Seixal e meditei bastante. Dormi muito pouco e a pessoa que primeiro soube da decisão foi o Tiago Pinto, as 7h30, que ficou perplexo".

"É uma decisão muito amadurecida durante a noite. Esta manhã só estava à espera do Rui Vitória, falámos um pouco, eu disse-lhe o que pensava do Benfica e perguntei-lhe se estava preparado e motivado com tudo o que aconteceu. Perante a opinião pública, ele já era uma carta fora do baralho".

"Não vale a pena divergir para a esquerda ou para a direita. A responsabilidade é minha, depois de refletir muito decidi que ele devia continuar. Continuo a achar que é o homem certo no lugar certo. Vamos ver se o tempo me dá razão".

Jesus "nunca foi contactado"

Numa comunicação em que admitiu que nem toda a cúpula do Benfica "alinhou" na sua decisão e que esta terá até surpreendido alguns dos elementos da SAD, Luís Filipe Vieira frisou ainda que Rui Vitória, em caso de saída, não iria pedir qualquer indemnização e que o técnico terá recusado uma proposta "de 6 milhões de euros" para treinar no estrangeiro já depois de saber que iria continuar, por estar comprometido com o projeto do Benfica.

"Nem todos na SAD alinhamos pelo mesmo sítio, mas depois da decisão tomada somos solidários uns com os outros", explicou.

"Achamos que temos plantel para a reconquista. Rui Vitória será o treinador até final da época, de certeza, salvo qualquer imprevisto. Quando comecei a falar com Vitória, ele disse que nunca seria problema para o Benfica", continuou.

"Quando pensar em ter um treinador novo, o Benfica tem de pensar com antecedência. Nenhum virá cá para fazer o projeto dele mas sim o do Benfica".

Já sobre a hipótese Jesus, Vieira negou que o antigo técnico do Benfica tenha sido contactado.

"Jorge Jesus nunca foi alguma vez mencionado para ser treinador, mas o que eu disse foi que eu não sei o que vai ser o futuro do Jesus. Nunca se falou dele vir para o Benfica este momento. Alguns nomes que vieram hoje na imprensa foram falados. Nada se passou mais do que isso, não vale a pena ir ao pormenor. Contactar essas pessoas nunca contactámos. Mas ao longo do dia recebi muitas mensagens de treinadores que queriam vir para o Benfica e alguns deles fiquei surpreendido. Quer dizer que o Benfica está pujante".

Vieira defendeu ainda a sua decisão de manter Vitória, lembrando que o seu "período mais negro de contestação foi com Jorge Jesus" e o que "é certo é que no fim o Benfica foi campeão".

"Há aqui mais gente culpada, não é só Vitória. Teríamos de mexer em muitas peças. Acho que esta quinta-feira ficou tudo claro no balneário. Não é para jogar lento, lento, lento, é para jogar à Benfica", continuou.

Sobre Luisão, Vieira diz que "nunca esteve em cima da mesa" a entrada do brasileiro para uma possível equipa técnica, mas que "poderá um dia estar".