Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Efeito João Félix: ações do Benfica valorizam 4,7% em 10 dias

A capitalização da SAD Benfiquista sobe 3,2 milhões de euros depois do anúncio da transferência do jogador para o Atlético de Madrid

NurPhoto

Partilhar

Dez dias depois das primeiras notícias sobre a transferência do jovem médio benfiquista João Felix para o Atlético de Madrid, as ações do Benfica SAD valorizaram 4,7%, saltando dos 2,97 euros (a 17 de junho), para os 3,11 euros, esta manhã.

O Sport Lisboa e Benfica só confirmou ontem, em comunicado enviado à CMVM - Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, que os espanhóis do Atlético de Madrid apresentaram uma proposta de €126 milhões de euros pelo passe do jogador, mas as ações do clube começaram a subir desde que a notícia surgiu, estando cotadas acima dos 3 euros desde então, mostram os dados do portal investing.com.

Se a 16 de junho os títulos do clube eram transacionados a 2,91 euros, no dia 18 passaram para os 3,08. E isto, mesmo depois do clube lisboeta ter começado por desmentir a existência de negociações tendo em vista a transferência do jogador.

O efeito João Felix também é visível na capitalização bolsista do clube português, com a SAD benfiquista a atingir esta manhã os 71,99 milhões de euros, mais 3,2 milhões do que o valor relativo ao dia 17 de junho (68,7 milhões).

No comunicado de ontem, o Benfica afirma que a proposta apresentada pelo clube madrileno para o jovem médio dos encarnados está ainda a ser analisada, referindo que o valor proposto pelo passe do jogador está a acima da cláusula de rescisão, contemplando o custo indexado ao pagamento a prestações que consta da proposta, e caso o negócio venha a concretizar-se,"o valor líquido a receber do Atlético de Madrid na data da transferência dos direitos desportivos ascenderá a € 120.000.000 (cento e vinte milhões de euros)”.

Aos 19 anos, João Felix protagoniza a transferência mais cara da história do futebol português e garante um lugar no top cinco das maiores transferências da história do futebol, ainda longe do recorde de Neymar, vendido pelo Barcelona ao Paris Saint Germain por 222 milhões de euros.