Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Bruno Lage: "Paga-se um pouco caro os nossos atletas estarem longe por causa da seleção e na terça-feira temos um jogo importante"

A análise de Bruno Lage ao Benfica-Gil Vicente (2-0), da 5ª jornada da Liga, em declarações à BTV

Tribuna Expresso

ANTÓNIO COTRIM

Partilhar

Análise do jogo

"É uma vitória muito importante. Tivemos uma boa entrada durante os primeiros 10, 15 minutos. O Pizzi falhou o penálti, mas mantivemos a paciência. Precisávamos de dar largura ao jogo e foi o que fizemos, mas nem sempre com qualidade. Temos de crescer neste sentido do jogo quer a ganhar, quer a perder.

Depois, uma entrada forte na segunda parte, com um golo - deu-nos tranquilidade para o resto. Não sei se serve como desculpa, não deve servir, mas senti que ficamos confortáveis no jogo. Paga-se um pouco caro os nossos atletas estarem longe por causa da seleção e na terça-feira temos um jogo importante para a Liga dos Campeões.

Gostava que fôssemos mais consistentes durante os 90 minutos. Este era o meu receio, que este jogo fosse semelhante ao jogo com o Tondela na última época, um jogo depois da paragem para a seleção, contra uma equipa bem organizada, que nos criasse imensas dificuldades."

A dupla Fejsa & Taarabt

"Já jogaram os dois juntos, contra o AC Milan, na pré-temporada. Fejsa é um jogador com muitos anos de casa, jogou bem e estamos muitos satisfeitos por ter ficado cá."

Tomás Tavares ia entrar nos últimos minutos, mas o jogo acabou e não entrou

"Queríamos dar a estreia ao Tomás. Um miúdo que no último ano andou a jogar nos sub-23, esta época já jogou pela equipa B. Queríamos dar-lhe a oportunidade de fazer a estreia pela equipa principal. É um facto que seria com poucos minutos, mas era aquilo que o jogo pedia. Certamente que terá mais oportunidades para se estrear".

55 mil adeptos na Luz

"Foi fundamental. Não fazemos nada sozinhos. Isto é o futebol, temos de compreender quando existem estes jogos, em que as coisas até estão acontecer, mas não com a velocidade a que estávamos acostumados a ver. A alegria de vencer por quatro, por cinco ou por seis é completamente diferente nas bancadas, do que ganhamos por um ou por dois. Mas o futebol é isto. Temos de nos dedicar ao máximo para que os nossos adeptos tenham alegria em virem ao estádio. É um longo caminho que queremos fazer, uma caminhada na frente de todas as competições, juntos com os nossos adeptos".