Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Rui Gomes da Silva critica Luís Filipe Vieira: "Serei candidato a presidente do Benfica para acabar com esta vergonha"

O ex-vice presidente do Benfica diz que terá "um projeto para dar alegrias aos sócios e não comissões a quem intermedie as vendas”, criticando duramente a presidência de Luís Filipe Vieira

tribuna expresso e lusa

Partilhar

O antigo vice-presidente do Benfica Rui Gomes da Silva reafirmou hoje a intenção de se candidatar à presidência ‘encarnada’ e considerou que o projeto do atual líder, Luís Filipe Vieira, consiste em apoderar-se do clube.

“Eu sei que eles sabem que eu sei as razões por que não é fácil tirá-lo de lá. Mas difícil não quer dizer impossível. E eu serei candidato a presidente do Benfica para acabar com esta vergonha”, escreveu o ex-dirigente ‘encarnado’ na crónica semanal no blogue ‘Novo Geração Benfica’ (NGB).

Rui Gomes da Silva, que já se tinha assumido essa intenção em maio do ano passado, é o segundo candidato às eleições do próximo ano, depois de Luís Filipe Vieira ter anunciado a recandidatura ao posto que ocupa desde 2003.

No texto no NGB, o antigo ‘vice’ diz que se vai candidatar com “a mesma legitimidade e pelas mesmas razões pelas quais Manuel Vilarinho quis ser o candidato para ganhar a Vale Azevedo”.

“É por isso que quero derrotar Vieira, nas urnas, antes de Vieira ficar com o Benfica. Esse é o projeto dele: ficar com o Benfica”, apontou, criticando ainda a alegada tentativa de agressão de Luís Filipe Vieira a um sócio na assembleia geral de sexta-feira: “Começo a perceber que quem precisa do Benfica não pactua com a crítica, não convive com a discordância, não suporta desafios eleitorais."

Rui Gomes da Silva afirmou ainda ter “um projeto desportivo e não comercial, um projeto para ganhar títulos e não cheques pela venda de jogadores, um projeto para dar alegrias aos sócios e não comissões a quem intermedie as vendas”.

Rui Gomes da Silva assumiu o cargo de vice-presidente do Benfica em 2009, tendo abandonado o clube em 2016. Desde então, tem sido um dos principais críticos à gestão de Luís Filipe Vieira.