Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Benfica lança OPA para controlar SAD. Negociação das ações está interrompida

Luís Filipe Vieira quer reforçar controlo sobre a SAD e lançou uma oferta pública voluntária e parcial de aquisição sobre 28,06% do capital disperso em bolsa. O preço da oferta é de cinco euros por ação, um prémio de 81,15% face ao valor no fecho da sessão desta segunda-feira

Catia Mateus

JOSÉ SENA GOULÃO

Partilhar

A Sport Lisboa e Benfica SGPS lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre 28,06% do capital disperso em bolsa. A Sport Lisboa e Benfica SGPS controla já, direta e indirectamente, 66,9% do capital da SAD e a OPA anunciada na noite de segunda-feira permitir-lhe-á alcançar o controlo quase total da sociedade.

Segundo o anúncio preliminar de lançamento da OPA, divulgado esta segunda-feira à noite junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliário (CMVM), a OPA tem caráter voluntário e o preço da oferta é de cinco euros cada, o mesmo a que as ações entraram em bolsa em 2001. A oferta corresponde a um prémio de 81,15% tendo como referência o fecho da sessão desta segunda-feira (2,76 euros).

A Sport Lisboa e Benfica SGPS tem um capital social de 115 milhões de euros, representado por 23 milhões de acções, das quais 9,2 milhões de acções de categoria A, integralmente detidas pelo Sport Lisboa e Benfica, e 13,8 milhões de categoria B, dispersas por outros investidores.

De acordo com a empresa, o valor máximo da operação é de 32,7 milhões de euros, "ao qual se deduzirá qualquer montante (ilíquido) que venha a ser atribuído a cada ação, seja a título de dividendos, de adiantamento sobre lucros do exercício ou de distribuição de reservas".

Como é prática habitual, a negociação das acções da SAD do Benfica, cotadas na bolsa de Lisboa, está neste momento interrompida, para consolidação da informação junto dos investidores.

Notícia atualizada às 14h42