Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

Bruno Lage: "Foi um jogo à inglesa, com bola cá e lá. O nosso equilíbrio não foi o melhor"

O treinador do Benfica reconheceu, após a vitória sofrida (3-2) contra o Famalicão, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, que foi um jogo meio de loucos, explicando que a equipa não preencheu bem os espaços quando, com bola, chegou a zonas de finalização

Tribuna Expresso

MANUEL DE ALMEIDA/Lusa

Partilhar

A análise ao jogo

"Foi um jogo extraordinário. Um jogo de Taça, um jogo à inglesa, com bola cá e lá. Da nossa parte, pecámos no nosso equilíbrio, não foi na transição defensiva, foi na forma como estávamos na perda de bola. Demos essa possibilidade ao Famalicão de transitar e marcar dois golos. Foi um excelente jogo, contra um treinador com ideias novas que nos faz defender de uma maneira diferente.

Quando acertámos na pressão, recuperámos muitas bolas no meio campo ofensivo, mas, quando estamos com bola, na chegada às zonas de finalização, o nosso equilíbrio não foi o melhor.

Ver a equipa sofrer dois golos e, depois, ter esta dinâmica, com os olhos na baliza adversária, deixa-nos contentes. Essa tem que ser a nossa mentalidade. Há dias em que as coisas não correm bem, mas temos que nos agarrar ao que é primordial, que é vencer o jogo mesmo assim para manter esta dinâmica de vitória."

Desequilíbrio e a postura do Famalicão

"São jogadores específicos, mais segundos médios. Sabemos que quando jogamos com o Gabriel e o Taarabt, que eles têm os olhos na baliza adversária. Porque jogamos com dois jogadores tecnicistas. Gabriel e Adel têm outra dinâmica a construir, mas por vezes temos mais dificuldades noutras situações. Dão-nos outras coisas fundamentais no nosso jogo, na construção curta e longa, na qualidade que têm com a bola. Qualquer onze que colocamos em campo tem coisas melhores e piores.

O mais importante é olhar par ao jogo, que foi excelente, até brinquei com o João [Pedro Sousa] que foi um jogo à inglesa. Temos que olhar em frente e pensar sempre em vencer o jogo. Mantivemos a dinâmica de vitória."

E a segunda mão?

"Nada disso. A vantagem é de um golo, mas temos de fazer um grande jogo, porque vamos jogar com uma excelente equipa."