Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Salvio: “Antes da final com o Chelsea, o Jesus mostrou vídeos dos cantos do Ivanovic. Quando sofremos aquele golo, o JJ queria matar-nos”

Numa entrevista ao jornal "Record", o antigo jogador encarnado confessa que gostaria de ter terminado a carreira na Luz, mas que sentiu-se a mais com Bruno Lage. E deixa elogios a Jorge Jesus: "Se não é o melhor, é dos melhores"

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

A saída do Benfica

Sempre fui um jogador importante com Jorge Jesus e Rui Vitória. Os últimos seis meses com Rui Vitória foram muito bons para mim, até que apanhei uma pubalgia. Muitos achavam que não jogava porque não queria renovar. Depois, voltei e, já com o Bruno Lage, não era o mesmo e deixei de me sentir importante. A minha situação mudou quando apanhei a pubalgia e houve a troca de treinadores. Renovei para a acabar a carreira no Benfica. Bruno Lage apenas me dizia que só podiam jogar onze. Eu achava que treinava como ninguém e depois não jogava.

O momento mau

Quando tive a segunda lesão no joelho, em maio de 2015, na última jornada com o Marítimo, já tinha acertado tudo com o Manchester United. Sem as lesões, a minha carreira teria sido diferente, sim.

As duas finais da Liga Europa

Lembro-me muito bem de tudo. Antes do jogo com o Chelsea, o Jorge Jesus mostrou-nos muitos vídeos do Ivanovic nos cantos e ele fez-nos aquele golo num canto, na última jogada do desafio. O JJ queria matar-nos no final. Com o Sevilha, no ano seguinte, tivemos azar, porque fomos melhores. O Jorge Jesus, se não é o melhor do mundo, é dos melhores. Ele dizia o que ia acontecer no jogo e acontecia. No dia seguinte, mostrava tudo no vídeo e ficávamos surpreendidos