Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Benfica assume que custos são para cortar e jogadores são para manter

Covid-19 obriga clube da Luz a pôr travão em vendas de jogadores: "As transações de atletas serão analisadas muito cuidadosamente"

Diogo Cavaleiro

Partilhar

O Benfica confirma que há um travão às vendas de jogadores, conforme noticiado esta terça-feira, 24 de março, pelo "Record". Estando ainda a avaliar o impacto da pandemia de covid-19, mas sem essas receitas (bem como as de bilheteira e as televisivas), é já certo que o clube vai ter de cortar custos “não indispensáveis”.

No comunicado em que traz mais uma reviravolta para a oferta pública de aquisição (OPA) do Benfica sobre a sua sociedade anónima desportiva, a Benfica SAD informa que “as transações de atletas serão analisadas muito cuidadosamente, tendo em vista promover e preservar na maior medida possível os ativos essenciais da Benfica SAD e assegurar a sua sustentabilidade, atendendo aos interesses de longo prazo dos seus acionistas e ponderando os interesses dos seus trabalhadores e demais stakeholders”.

O "Record" escreveu hoje que o clube liderado por Luís Filipe Vieira vai pôr um travão às transações de passes de jogadores, tendo em conta os efeitos da covid-19, o que é confirmado neste comunicado. Quaisquer vendas terão de ser vistas à lupa – até porque os jogadores não têm jogado recentemente para mostrar o potencial. Para já, Bruno Lage poderá pensar em treinar a mesma equipa que tinha até aqui.

Mas esta não será a única questão levantada pelas consequências de uma pandemia que suspendeu as competições profissionais de futebol – e que colocam entraves a praticamente todas as fontes de receitas das águias, desde bilheteira à transmissão televisiva. Assim, os custos vão ter de cair.

“Neste contexto de enorme adversidade, a Benfica SAD tomou e continuará a tomar, tendo em conta a informação fiável que estiver disponível a cada momento, as medidas que reputar necessárias para preservar a sua atividade, sendo previsível a redução de custos e despesas não indispensáveis ao desenvolvimento dessa atividade e a ponderação acrescidamente cuidada de todos os investimentos que estavam projetados”, assume a SAD do clube, que estava em segundo lugar na Liga NOS, atrás do rival Futebol Clube do Porto.

De qualquer forma, a SAD o Benfica, não sabe ainda todas as consequências de toda a situação: “A Benfica SAD está a avaliar os impactos que a pandemia decorrente do novo coronavírus tem na sua atividade, face à grande incerteza e imprevisibilidade da situação”.

É, aliás, a pandemia que leva o clube a pedir à CMVM para cancelar a OPA sobre a SAD - que a CMVM já tinha decidido que iria chumbar devido ao modelo de financiamento determinado.

Benfica quer acabar com a OPA mas não pelas razões que a CMVM quer

A CMVM determinou o chumbo da OPA devido ao modelo de financiamento e o Benfica vai reagir (e até ameaça com os tribunais). Só que o clube lança agora outro dado para o xadrez: é ele próprio que solicita o fim da OPA à SAD por conta da pandemia de covid-19