Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Benfica publica na íntegra as perguntas e respostas ao “The New York Times” e questiona motivações do jornal norte-americano

O Benfica publicou, na íntegra, cinco perguntas e cinco respostas feitas pelo "The New York Times" no âmbito de um artigo sobre Rui Pinto, Paulo Gonçalves e um alegado controlo encarnado nas esferas política e judicial portuguesas

Pedro Candeias

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

O Benfica decidiu publicar na íntegra as perguntas e respostas trocadas com o "The New York Times" no âmbito de um artigo escrito pelo jornal norte-americano a propósito de questões como Rui Pinto, Paulo Gonçalves e a alegada influência encarnada na sociedade portuguesa. "Tendo sido contactado pelo New York Times a propósito de uma notícia que estaria a fazer sobre o processo atualmente em curso envolvendo o hacker Rui Pinto" entendeu tornar públicas, "na íntegra as questões e respostas que, em nosso nome, foram dadas pela equipa jurídica que representa o clube", lê-se.

Nas respostas dadas ao "The New York Times", o Benfica questiona-se sobre a motivação do jornal norte-americano, garante que um dia se irá descobrir quem está por trás da plataforma "Football Leaks" e quem "financia atividades criminosas na Europa relacionadas com o futebol e outras instituições (por exemplo, económicas, industriais, políticas, etc.). Quem sabe, um dia serão descobertas "ligações perigosas" entre algumas fundações privadas, jornais, políticos e jornalistas dos EUA e da Europa, com os ataques injustos que o Benfica tem vindo a sofrer".

Além disso, o Benfica questiona as motivações do "New York Times", perguntando "quando é que a alegada 'influência pouco saudável' do Benfica na sociedade portuguesa começou a estar sob os holofotes dos leitores do NYT?". Os encarnados repisam os argumentos de antes - os juízes decidiram, em primeira instância, não levar a SAD do clube a julgamento no caso e-toupeira.

A Tribuna Expresso tentou obter resposta do jornalista e do "The New York Times" que preferiram não comentar o assunto num primeiro momento. À tarde, porém, o autor do artigo, bem como um dos editores do jornal norte-americano, escreveram nas suas contas das redes sociais que o "Benfica respondeu apenas depois de a notícia ter sido publicada". "Aparentemente, não gostaram [do que foi escrito]."

*Artigo atualizado com informações do jornalista e do "The New York Times" no Twitter.