Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

“Afinal quem é o vicário de quem entre Rui Moreira e Pinto da Costa?”, pergunta o Benfica. O FC Porto não responde, para já

Luís Bernardo, diretor de comunicação do Benfica, escreveu um texto no site do clube onde denuncia aquilo que entende ser uma “promiscuidade política sem paralelo”, a propósito da lista ao Conselho Superior na candidatura de Pinto da Costa à presidência do FC Porto.

Tribuna Expresso

Partilhar

O Benfica, pela voz do seu diretor de comunicação Luís Bernardo, atacou o FC Porto a propósito da lista de nomes candidatos ao Conselho Superior na candidatura de Jorge Nuno Pinto da Costa às eleições presidenciais deste fim de semana. O responsável encarnado fala em “promiscuidade política, sem paralelo”: “Ficámos agora a saber que o designado sucessor para presidente do FCP e atual presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, é notícia porque já reuniu com colegas autarcas para discutir assuntos relacionados com a construção da prometida futura academia do FCP”.

Na lista do Conselho Superior estão, entre outros, Rui Moreira (presidente da Câmara Municipal do Porto), Manuel Pizarro (vereador da mesma Câmara), Nuno Cardoso (ex-presidente da Câmara), Luís Montenegro (antigo candidato à liderança do PSD) e Tiago Barbosa Ribeiro (deputado socialista). “A gravidade de toda esta situação em que se misturam a gestão de cargos públicos com os interesses de um clube, e em que o papel do presidente da Câmara do Porto já não se percebe onde começa e acaba e se confunde com o de futuro presidente do Conselho Superior do FCP e eventual sucessor de Pinto da Costa, devia deixar de sobreaviso e em alerta todas as autoridades competentes. Assim se expõe toda a hipocrisia de todos aqueles que rasgaram as vestes e tanto se indignaram com a banal oferta de dois bilhetes para um jogo a um responsável político. Afinal quem é o vicário de quem entre Rui Moreira e Pinto da Costa?”.

A Tribuna Expresso tentou contactar o FC Porto que não manifestou disponibilidade para responder.

Leia o texto de Luís Bernardo na íntegra:

"Já não bastava o nível de promiscuidade política, sem paralelo, evidente nas listas de Pinto da Costa com um desfile de atuais e ex-políticos, ficámos agora a saber que o designado sucessor para presidente do FCP e atual presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, é notícia porque já reuniu com colegas autarcas para discutir assuntos relacionados com a construção da prometida futura academia do FCP.

A gravidade de toda esta situação em que se misturam a gestão de cargos públicos com os interesses de um clube, e em que o papel do presidente da Câmara do Porto já não se percebe onde começa e acaba e se confunde com o de futuro presidente do Conselho Superior do FCP e eventual sucessor de Pinto da Costa, devia deixar de sobreaviso e em alerta todas as autoridades competentes.

O que seria se o presidente da Câmara Municipal de Lisboa aceitasse integrar as listas de um dos candidatos à liderança de um clube da sua cidade, ao mesmo tempo que surgia a liderar a eventual oferta de terrenos e gestão de projetos de construção relacionados com esse mesmo clube que envolvem financiamentos avultados.

Assim se expõe toda a hipocrisia de todos aqueles que rasgaram as vestes e tanto se indignaram com a banal oferta de dois bilhetes para um jogo a um responsável político, e que agora em situação de caos financeiro demonstram que afinal vale tudo, desde financiamentos públicos para o Porto Canal, passando por uma lista para o Conselho Superior manifestamente incompatível com a necessária transparência e salvaguarda do interesse geral.

Pelos vistos é preciso relembrar o óbvio: pode um decisor político ter um relacionamento institucional com clubes de futebol? É óbvio que sim. Mas poderá e deverá fazê-lo pertencendo aos órgãos representativos desse mesmo clube? É óbvio que não.

Afinal quem é o vicário de quem entre Rui Moreira e Pinto da Costa?"