Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Não foi apenas o ataque ao autocarro: casas de jogadores do Benfica grafitadas com ameaças

O pós-jogo Benfica 0-0 Tondela foi particularmente violento: um dos autocarros da equipa foi apedrejado, ferindo Weigl e Zivkovic, no caminho para o Seixal, e algumas casas de jogadores foram vandalizadas. A PSP suspeita de elementos ligados aos No Name Boys

Hugo Franco e Pedro Candeias

A casa de Pizzi foi uma das residências vandalizadas

D.R.

Partilhar

A Tribuna Expresso sabe que algumas casas de jogadores do Benfica foram grafitadas com ameaças após o jogo com o Tondela, no Estádio da Luz, que terminou empatado (0-0). Uma das residências atacadas foi a de Pizzi e, contactado pela Tribuna Expresso, o Benfica confirmou estes ataques.

A PSP tem suspeitas de que possam ser adeptos da claque No Name Boys, mas ainda está a investigar no terreno, desde ontem à noite, altura em que o autocarro da equipa foi atingido com pedras, ferindo dois jogadores.

Este incidente ocorreu no regresso da equipa ao Seixal na noite de quinta-feira: um dos veículos que transportava parte do plantel foi apedrejado e Weigl e Zivkovic tiveram de ser assistidos. O Benfica repudiou o ataque, ocorrido na A2, garantido cooperação para identificar os “delinquentes”; a Liga falou em “ataque cobarde”, em reação ao sucedido.

Os No Name Boys (NN), de quem a PSP suspeita, estiveram recentemente envolvidos em rixas e ataques com elementos da Juventude Leonina, a claque mais representativa do Sporting, em Lisboa e em Cascais.