Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Benfica afinal quer ir buscar €50 milhões a investidores

SAD liderada por Vieira aumenta montante a captar junto de investidores. Na atualização dos dados da operação, consta já a saída de Lage e entrada de Veríssimo

Diogo Cavaleiro

JOSÉ COELHO

Partilhar

O Benfica quer pedir mais dinheiro emprestado do que o inicialmente previsto. Até aqui, o objetivo era obter um financiamento de 35 milhões de euros ao colocar obrigações nos investidores. Esta quarta-feira, a SAD anunciou que o montante a captar é de 50 milhões de euros. O juro continua a ser de 4%.

“Serão emitidas até 10.000.000 de obrigações, com o valor nominal unitário de €5 e global de até €50.000.000”, indica a adenda ao prospeto emitido no mês passado que anunciou a operação, publicada no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). O objetivo inicial era de emitir 7 milhões de obrigações, até 35 milhões de euros.

Estes títulos, que dão um juro de 4% aos investidores por ano, podem ser subscritos até sexta-feira, 10 de julho. Há, portanto, dois dias para a subscrição - normalmente, as SAD promovem este aumento do montante quando a procura parece aproximar-se desse montante.

Ao emitir as obrigações, a SAD do Benfica financia-se em 50 milhões de euros, sendo que terá de pagar juros anualmente e devolvê-las, na sua totalidade, em 2023.

O aumento de cerca de 40% do montante a captar é decidido mesmo apesar da pandemia de covid-19 (o motivo pelo qual o FCP pediu a investidores para adiar o reembolso de 35 milhões de euros de obrigações que tinha para fazer este ano).

Benfica SAD: Novo empréstimo custa cerca de um milhão em comissões

As águias pagarão um juro mais alto para levantar 35 milhões de euros junto dos investidores face ao que ofereceram no ano passado, e a este encargo somam o preço da montagem da operação, que custará à Benfica SAD cerca de 1,2 milhões de euros

Com esta decisão, aumentam os encargos que a empresa presidida por Luís Filipe Vieira (que já anunciou que se vai recandidatar) enfrenta: de 1,2 milhões, passam agora para 1,6 milhões de euros. Dos 50 milhões, serão deduzidos 1,35 milhões referidos a comissões de organização e coordenação da operação (e impostos), a pagar sobretudo ao Haitong Bank. Há ainda 210 mil euros a pagar a consultores, auditores e publicidade, e 38,2 mil euros para a CMVM, Interbolsa e Euronext. Assim, “a receita global líquida da Benfica SAD estimada será de €48.399.800, deduzida das comissões e dos custos acima referidos.”

Nesta adenda ao prospeto, o Benfica faz também uma atualização: ao contrário do que estava no prospeto inicial, Bruno Lage já não é o treinador, constando já o nome de Nélson Veríssimo como técnico da equipa principal.

Este tipo de emissões de obrigações tem sido recorrente por parte das SAD dos principais clubes nacionais.