Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

E vão dez: Benfica consegue 50 milhões de 3688 investidores

128 investidores emprestaram mais de 50 mil euros cada ao Benfica na oferta de obrigações

Diogo Cavaleiro

Partilhar

“O Benfica está de parabéns”. Foi assim que a presidente da gestora da Bolsa de Lisboa, Isabel Ucha, começou a sessão de divulgação dos resultados da operação em que a Benfica SAD pretendia ir buscar 50 milhões de euros a investidores, objetivo em que saiu bem-sucedido. Até havia mais procura, de 69 milhões.

Ao todo, foram 3688 investidores a emprestar os 50 milhões de euros à SAD presidida por Luís Filipe Vieira, sendo que quase dois terços subscreveram obrigações entre 1.500 e 5.000 euros. Houve 128 investidores que financiaram a SAD acima dos 50.000 euros, segundo os resultados da oferta de obrigações divulgada esta segunda-feira, 13 de julho.

A procura por estas obrigações, que dão um juro de 4% (quando os produtos mais tradicionais como os depósitos pouco dão), foi elevada. É uma “evidência que, apesar do contexto económico e de mercado, o mercado continua a oferecer soluções de financiamento a empresas e à economia”, segundo Isabel Ucha. A operação ocorreu já no período pós-pandemia.

Inicialmente, o Benfica pretendia arrecadar 35 milhões de euros nesta operação mas, logo no primeiro dia, a procura superou esse número. Depois, a SAD optou por subir o montante até aos 50 milhões. Conseguiu a procura por 69 milhões.

Esta é a décima operação deste género desde 2004, em que o Benfica pede dinheiro a investidores (como adeptos) para se financiar, evitando recorrer a empréstimos bancários – os bancos estão há anos a tentar reduzir os empréstimos aos clubes de futebol.

Em 2020, foram menos investidores a participar do que aqueles que têm vindo a colocar dinheiro nas obrigações da SAD. Em 2019, tinham sido 4.973 a comprar obrigações. E, em média, nas dez operações já feitas, o Benfica contou com a participação de 5.045 investidores. Agora, ficou aquém, mas quem emprestou, colocou mais dinheiro.

Benfica antecipou emissão que tinha de pagar em 2021

A SAD do Benfica tinha, este ano, de devolver a emissão que terminava em abril. Já com a pandemia, concretizou esse reembolso de mais de 48 milhões de euros de obrigações colocadas no mercado em 2017. Em 2018, fez outra emissão, de 45 milhões de euros, cujo prazo de pagamento era em 2021. Só que a SAD liderada por Luís Filipe antecipou-se e reduziu essa fatura.

No final do ano passado, a SAD do Benfica anunciou que iria proceder ao reembolso parcial destas obrigações e, assim, uma parte do dinheiro que deveria ser devolvido apenas em 2021 foi já pago no início de 2020. Mais precisamente: pagou já 25 milhões de euros, para o ano terá de devolver outros 26 milhões de euros por conta dessa emissão.

Em 2022, há ainda uma outra operação, de 40 milhões de euros, também a devolver aos clientes que investiram em 2019.

Agora, juntam-se 50 milhões para devolver em 2023.