Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

João Noronha Lopes: "Temos de ter um projeto estratégico de longo prazo que não varie ao sabor das luzes e da vontade de um homem só"

Na apresentação da candidatura esta quinta-feira, em Lisboa, o gestor criticou o último mandato de Luís Filipe Vieira, prometeu um Benfica com ambição europeia e ainda sublinhou o apoio a um modelo para o futebol com um diretor desportivo que faça a ligação entre da formação ao plantel principal. E sublinhou que Jorge Jesus é o seu treinador

Tribuna Expresso

TIAGO PETINGA/LUSA

Partilhar

João Noronha Lopes apresentou esta quinta-feira a sua candidatura à presidência do Benfica, numa conferência de imprensa no Centro Cultural de Belém. O gestor junta-se assim a Luís Filipe Vieira, Rui Gomes da Silva e Bruno Costa Carvalho entre os candidatos às eleições de outubro. No discurso de apresentação, Noronha Lopes criticou a atual gestão de Luís Filipe Vieira e prometeu um Benfica com verdadeira ambição europeia.

"Há 20 anos, quando o Benfica corria perigo, não fiquei de fora. Agora, mais uma vez, não podia ficar de fora. O Benfica precisa de mudar. Por isso aqui estou com uma enorme vontade de começar uma nova dinâmica, que ponha o Benfica onde o Benfica merece", começou por dizer o candidato.

"Há 20 anos estive com Manuel Vilarinho. Fiz parte da transformação que nos devolveu a dignidade e manteve o Benfica na mão dos benquistas, nas nossas mãos. Vilarinho foi o homem certo e soube sair no tempo certo. É muito importante saber quando sair. O clube modernizou-se e profissionalizou-se, os benfiquistas reconhecem o trabalho de Luís Filipe Vieira e eu próprio já o fiz publicamente, mas agora - e no agora que estamos - assistimos à desorientação, à incoerência, à incapacidade de aprender com os próprios erros, à contradição. E a um desvio do que é essencial, o sucesso desportivo. Chegámos ao fim de um ciclo no Benfica e chegou à altura de decidir o que queremos para o futuro e a resposta é: ganhar, em todos os campos e todos os pavilhões. Queremos um Benfica que sonha o mesmo sonho daqueles que por ele não dormem", disse ainda.

"O negócio do Benfica é vencer jogos e os nossos maiores dividendos têm que ser os títulos. A ambição do Benfica tem que ser a ambição dos benfiquistas, e neste momento não é. O Benfica não pode ser visto apenas como uma empresa. Temos de aliar a sustentabilidade financeira aos títulos. No futebol, nas modalidades, em Portugal e na Europa. Sublinho na Europa, porque Portugal não nos basta. Não pode bastar ao Sport Lisboa e Benfica. Precisamos de ambição, credibilidade e transparência", seguiu Noronha Lopes.

"Não podemos adiar o Benfica europeu que os benfiquistas desejam. E nós sabemos como fazê-lo. Temos de ter um projecto estratégico de longo prazo, um projecto que não varie ao sabor das luzes, da vontade de um homem só ou de calendários eleitorais. Apresentarei uma equipa de grandes benfiquistas, uma equipa que partilha a mesma visão do clube, profissionais de excelência em várias áreas. Comigo os benquistas têm uma garantia. Digo o que faço e faço o que digo", continuou.

"Proporemos aos sócios uma revisão dos estatutos que introduza a limitação de mandatos e um código de conduta que evite conflitos de interesses entre membros dos órgãos sociais e accionistas da SAD. Travaremos uma luta sem tréguas contra os interesses instalados e contra os dirigentes que representam o passado e o pior do nosso futebol".

Jorge Jesus

"Jorge Jesus quando saiu do Benfica teve comportamentos dos quais não gostei e julgo que deve uma explicação aos benquistas e espero que a faça. É um grande treinador e é o meu treinador. O que eu não percebo é como é que é o treinador de Vieira, quando foi empurrado quando não cabia no projeto e quando Vieira disse que nunca voltaria ao Benfica. Quer tanto ganhar quanto eu, é um homem inteligente e em conjunto vamos fazer com que o Benfica ganhe em Portugal e na Europa"

Outras candidaturas

"O Benfica é o clube mais democrático em Portugal e o que faz falta é debater ideias e projectos. Discutir o futuro e espero que haja vários candidatos e que todos os possamos fazer"

Soares de Oliveira, Rui Costa e Tiago Pinto ficam?

"O Benfica tem de ter um projeto a longo prazo para o futebol, corporizado na figura de um diretor desportivo sénior e que faça a ligação entre a formação, a prospecção, a equipa B, os sub-23 e o plantel principal. E esse director desportivo que garanta a identidade do Benfica. O Benfica tem excelentes profissionais, Domingos Soares de Oliveira é alguém de quem tenho boas referências, mas como em todos os atos de gestão da minha vida, não faço juízos antes de entrar para as empresas. Quando entrar no Benfica conversarei com todos eles para saber o que melhor interessa ao Benfica"

Luís Filipe Vieira

"Chegámos ao fim de um ciclo, de um modelo de liderança que está esgotado. Os últimos anos revelam isso: o Benfica perdeu dois campeonatos em três para um rival que estava intervencionado pela UEFA, teve prestações europeias desastrosas e saiu do top 20 dos clubes europeus. Perdeu-se o foco nos resultados e sucessos desportivos. A sustentabilidade financeira serve para ter resultados"