Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Veríssimo e o que fica para Jorge Jesus: "É a equipa temos, sinceramente, não quero pensar mais à frente"

O treinador do Benfica, na flash interview, após a derrota com o FC Porto na final da Taça de Portugal, falou também dos golos sofridos de bola parada

Octavio Passos/Getty

Partilhar

Os caminhos

"Não concordo com essa análise. Na primeira parte foi equilibrado e a verdade é que com menos um, após a expulsão, tivemos dificuldade em encontrar caminhos. Mas fruto também do momento defensivo do Porto, que se fechou mais. Na segunda-parte sofremos um golo e tivemos de ir à procura do resultado. Não fizemos o jogo que nós queríamos. Salientar que, mesmo a perder por dois, fomos à procura do golo. E fizemos. Mas depois tivemos alguma infelicidade .Tivemos algumas dificuldades em encontrar o caminho da baliza. Devíamos ter mais calma e lucidez a procura dos caminhos”.

As bolas paradas

"É um facto que sofremos dois golos de bola parada e é algo em que trabalhámos muito durante a época, mais ainda agora. Mas não vi ainda os lances, não sei bem dizer o que aconteceu.”


O que fica para Jorge Jesus

“É a equipa que temos. Sinceramente, não quero pensar em mais à frente”