Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

“António Costa não devia participar nas eleições do Benfica, muito menos na defesa de Vieira. A não ser que este mande mais do que julgamos”

Em entrevista à SIC Notícias, João Paulo Batalha, presidente da Associação Cívica Integridade e Transparência, criticou duramente a presença do primeiro ministro e de Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, na Comissão de Honra às eleições da candidatura de Luís Filipe Vieira

Tribuna Expresso

Chris Brunskill Ltd

Partilhar

João Paulo Batalha, presidente da "Associação Cívica Integridade e Transparência", considerou uma "bizarria" os apoios de António Costa e Fernando Medina à candidatura de Luís Filipe Vieira à presidência do Benfica.

O facto do primeiro ministro e do presidente da Câmara Municipal de Lisboa integraram a Comissão de Honra de Vieira às eleições - conforme o Expresso noticiou - é algo que, para João Paulo Batalha, "não faz sentido".

"Confesso que já estou habituado a ver promiscuidades entre futebol e política, mas até eu estou perplexo com este caso. Isto é mau a três ou quatro níveis", disse João Paulo Batalha em entrevista à SIC Notícias.

"António Costa e Fernando Medina são sócios do Benfica, OK, têm o direito de votar, mas deviam abster-se de se envolverem na vida interna de um clube, ainda para mais numa eleição. Porque há relações institucionais entre os cargos que ocupam e o clube em questão. Vieira convida pessoas para uma Comissão de Honra em função das funções que ocupam, da importância pública que têm. Vieira pediu emprestada a honra da Câmara Municipal de Lisboa e do Governo português para a sua candidatura. E eles aceitaram emprestar", argumentou o presidente da Associação Cívica Integridade e Transparência.

Por outro lado, e perante os casos de Justiça que rodeiam o Benfica, Luís Filipe Vieira e o "buraco do Novo Banco", João Paulo Batalha afirmou o seguinte: "António Costa não devia participar num processo eleitoral de um clube e muito menos na defesa deste candidato, lamento muito. Luís Filipe Vieira não foi condenado por coisa alguma ainda - acho que o será, apenas, quando deixar de ser presidente do Benfica, é essa a tradição - mas, quando o primeiro ministro vem dizer que é preciso apurar o que aconteceu no Novo Banco… Luís Filipe Vieira é um dos responsáveis pelo buraco de centenas de milhões de euros. E isso não impede o primeiro ministro de integrar uma Comissão de Honra? Isto é bizarro... A não ser que Luís Filipe Vieira mande mais no país do que aquilo que nós julgamos".