Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Jorge Jesus: "Ainda estamos todos muito longe daquilo que pretendo para a equipa"

O treinador do Benfica reconheceu que a equipa foi mais eficaz e "houve mais coisas positivas", mas lembrou, após a goleada, por 1-5, em Famalicão, que aconteceu "também face ao rival". Jorge Jesus avisou, porém, que ainda não jogam como pretende e que tem "a certeza" que a equipa vai melhorar

Tribuna Expresso

Quality Sport Images

Partilhar

A análise ao jogo

"Mais importante era vencer, mas a convencer, melhor ainda. É verdade que hoje a equipa, face também ao nosso rival, foi muito melhor. Fomos uma equipa mais eficaz face ao que fizemos no últimos jogo, em que até fizemos mais remates e só tivemos um golo, hoje fizemos cinco remates na baliza e marcámos cinco golos. Além da velocidade que a equipa teve defensivamente, o Famalicão não teve muitas chances para chegar à nossa zona defensiva.

Teve um bom golo numa jogava de um contra um, ainda rematou uma bola ao poste também numa jogada de um contra um. Não gostei da forma como sofremos o golo, não gosto de sofrer golos. Houve já coisas positivas, tivemos dois avançados, o Darwin e o Lucas, com outra velocidade. Não que sejam mais evoluídos tecnicamente, mas têm outras características. São jogadores que, dentro do nosso modelo de jogo, queremos que saibam ganhar o espaço com alguma dinâmica.

O Gabriel hoje foi mais intenso que o Julian e, como tínhamos tido jogo há três dias, tinha que mexer na equipa e entraram quatro jogadores, que estiveram bem no jogo. As substituições podiam ter ajudado melhor melhor a gerir a intensidade do jogo. Entrámos com o pé direito, com uma goleada, o objetivo eram os três pontos. O jogo dita as nossas decisões e a decisão foi fazer cada vez mais golos."

A troca dos avançados

"Ter avançados que soubessem puxar o jogo, uma equipa que entrasse fresca. Mantive a última linha porque quero dar estabilidade defensiva, para que se adaptem uns aos outros. O Vertonghen esteve duas semanas na seleção, o Rúben também, estive duas semanas sem os centrais, ainda estão fora dos movimentos defensivos da equipa - aliás, ainda estamos todos muito longe daquilo que pretendo para a equipa. Jogo a jogo, tenho a certeza que a equipa vai melhorar."

Substituição de Grimaldo por Tomás Tavares

"Já o queria tirar, não porque tivesse a jogar mal, fez um grande golo, mas, como sabem, vinha de uma lesão e jogou os 90 minutos na Grécia. Exijo muito mais dele, porque tem qualidade técnica para jogar mais, mas já estava com sinais de fadiga. Ia tirar o Adel [Taarabt], que acabou por se lesionar, mas o Gabriel tinha um cartão amarelo. Bom, são decisões que temos de tomar e umas vezes acertamos mais do que outras. Mas estava programado, já estavam na minha cabeça.

Quis dar uma hipótese ao Diogo, acredito muito nele, é muito competitivo, acho que pode ser um bom jogador noutra posição, mas com o tempo vamos ver". A lateral direito? "Sim".