Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Rui Gomes da Silva: "Houve uma bipolarização eleitoral e assumo pessoalmente este resultado"

O advogado e antigo vice-presidente de Vieira reconheceu o resultado pesado nas eleições do Benfica, em que recolheu apenas 1,64% dos votos

Tribuna Expresso

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Partilhar

Rui Gomes da Silva reconheceu a derrota nas eleições do Benfica, em que recolheu apenas 1,64% dos votos, admitindo a desilusão com um resultado pesado naquele que foi o ato eleitoral mais participado de sempre da história do clube.

"Houve uma bipolarização eleitoral e assumo pessoalmente este resultado, não era aquilo que esperávamos, não era aquilo pelo que nos debatemos. Mas enfim, fico muito feliz que tenha havido democracia, infeliz com os resultados", começou por dizer o advogado.

"Já tive a oportunidade de telefonar ao presidente eleito, dando-lhe os parabéns e desejando as maiores felicidades, porque é disso que o Benfica precisa. Acabaram as eleições, as divisões. Muitos parabéns e viva o Sport Lisboa e Benfica", sublinhou ainda.

Rui Gomes da Silva disse ainda que para já não vai assumir uma postura de oposição a Luís Filipe Vieira. Mas tão-pouco tornar-se seu apoiante: "Nem eu estou para manter esta situação, com este resultado, nem o presidente precisa do meu apoio. Aquilo que farei é aquilo que sempre fiz na vida: estar pelo Benfica, lutar pelo Benfica e defender o Benfica naquilo que o Benfica precisar, mas nada mais do que isso nos próximos tempos".

"Agora o que é preciso é ganhar. É preciso ganhar o próximo jogo e o próximo jogo é amanhã", terminou o antigo vice-presidente de Luís Filipe Vieira e um dos maiores críticos do presidente do Benfica nos últimos anos.