Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Jorge Jesus: "Fair-play? No Brasil se o jogador está no chão o jogo segue. E não há nenhuma equipa na Liga Europa que vá fazer 31 faltas"

Na antevisão para o encontro de quinta-feira com o Rangers, para a Liga Europa, Jorge Jesus comentou as notícias que dão conta que o Benfica vai deixar de colocar a bola fora sempre que um adversário está no chão. Quanto ao adversário, alertou para o "4-3-3 parecido ao do Liverpool"

Tribuna Expresso

Gualter Fatia

Partilhar

Rangers

“Vamos encontrar um adversário que até agora vai ser o adversário mais forte que encontrámos, não tenho dúvida nenhuma. Equipa que conheço bem e vocês também, jogou com o FC Porto e com o Sp. Braga. Tem um 4-3-3 parecido com o do Liverpool, que joga da mesma maneira fora e em casa. Qualquer uma destas equipas pode ser vencedora do jogo e do grupo”

Fim do fair-play

“Neste jogos internacionais não acontece tanto anti-jogo e não entram em situações de quebra de ritmo e paragens constantes de jogo. Quando eu sai daqui já era assim. No Brasil isso não existe: o jogador está no chão e o jogo segue, ninguém pára o jogo. Só o árbitro, se quiser parar. Porque lá é para jogar. Isso acontece muito no futebol português e nos países que não têm um futebol evoluído. Nas competições europeias essa questão não se coloca. Não há nenhuma equipa na Champions ou na Liga Europa que vá fazer 31 faltas, isso tenho a certeza”

Rotação

“Temos quantidade e qualidade para fazer rotatividade dos jogadores. Vocês se calhar não repararam, mas contra o Liege eu mudei seis jogadores e não costumo mudar tantos jogadores. Mas deu resultado. Foi o nosso melhor jogo esta época. Amanhã vamos mexer, há jogadores que nunca foram substituídos. Hoje é a primeira vez que vão treinar, vamos ver como os jogadores estão, vamos ver como estão os sinais”

Ataque do Rangers

“Os jogadores do ataque não entram em muitas tarefas defensivas, normalmente só na primeira fase de pressão e depois ficam sempre ali para o contra-golpe. Temos de ter atenção à forma como eles saem. É uma equipa que tem três jogadores na frente muito ágeis e temos de estar atentos”

Everton

“Desde que veio da seleção do Brasil veio um pouco mais carregado. No Bessa foi um dos jogadores que não esteve muito bem. Não o tirei por ter um problema físico mas sim por uma questão tática do jogo. Se ele não tiver problema nenhum de certeza que amanhã vai jogar”

Darwin

“É um jogador muito rápido, que ganha com muita facilidade sem bola o espaço ao adversário e ainda não tem o timing. Às vezes é o colega que demora a fazer o passe. Ainda ontem falei com ele sobre isso, como é que ele tinha de temporizar as suas decisões ou não. É um miúdo de 21 anos, é um talento, um jogador poderoso mas que ainda vai ter de aprender coisas do jogo, mas vai conhecer e quanto mais conhecer mais jogador vai ser”