Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

Jorge Jesus: "A equipa está com uma alma e uma crença muito grande, acredita que em qualquer momento pode fazer golo"

Jorge Jesus sublinhou a reação da equipa e as alterações que fez como decisivas para a reviravolta no encontro frente ao Paços de Ferreira

Tribuna Expresso

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

Vitória difícil

“Esta foi mesmo uma daquelas vitórias arrancadas a ferros. Voltámos a voltar a transformar uma desvantagem para vantagem nossa. Na 1.ª parte poderíamos ter decidido o jogo, na primeira meia-hora a equipa teve muitas oportunidades de golo dentro da área, algumas só com o keeper na frente. Normalmente somos mais eficazes nessas situações. E o Paços teve um ressalto de bola, fez um golo que na minha opinião tinha de ser invalidado, porque há um jogador que tira a visão ao Ody. Mas além disso jogámos com uma equipa que disputa muito bem o jogo, uma equipa que tem um jogo positivo, que joga para ganhar. Notou-se em alguns jogadores alguma falta de frescura física, mas eu fui mexendo e comecei a sentir que íamos fazer golo. Estava com alguma dúvida se poderíamos levar um golo em contra-golpe, mas que íamos fazer golo. Senti que os jogadores do Paços já não tinham muito andamento para a nossa intensidade. A entrada do Chico foi importante do ponto de vista tático e fizemos o 2-1 com um excelente cruzamento do Gabi, que tinha entrado, para o Luca. O Luca com o tempo que esteve em jogo também pode fazer melhor, mas esteve na decisão final. Vitória importante depois de estarmos a perder”

Alterações no onze

“Eu sabia que face ao jogo de quinta-feira não poderia manter os mesmos jogadores no corredor central, porque esta equipa do Paços tem mais vantagem ali e estava mais fresca. Precisava de colocar jogadores que não tivessem jogado na quinta-feira. O Adel esteve bem até aos 60 minutos, depois começou a faltar-lhe o gás. O Weigl é um bom jogador com bola, mas neste final de jogo já não me interessava tem um jogador com bola mas sim um jogador que jogasse à frente dele, mais perto dos avançados. Um jogador mais de pressão, que é algo que o Gabriel tem e o Julian não tem. As nossas alterações foram fundamentais para mudar o jogo”

Golo no último momento

“A equipa está com uma alma e uma crença muito grande, acredita que em qualquer momento pode fazer golo. Tivemos alguns jogadores nervosos, como o Nuno Tavares, muito complicado o jogo dele. Mas de qualquer forma nós estamos a criar uma mentalidade de lutar contra as dificuldades do jogo. A equipa soube reagir, não perdeu a cabeça, taticamente em alguns momentos alguns perderam a cabeça, a tentar fazer golo de qualquer maneira e a descompensar a equipa mas acabou por ser uma vitória saborosa”