Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Quais são os desejos de Jorge Jesus para 2021? "O regresso da nossa liberdade intelectual e física"

Na antevisão ao encontro com o Santa Clara, no domingo, o treinador do Benfica comentou ainda as palavras de Sérgio Conceição e garante que continua apaixonado nos treinos e nos jogos, mas que é um profissional diferente daquele que chegou ao Benfica há uma década

Tribuna Expresso

Jorge Jesus, treinador do Benfica, que parece pouco preocupado com o que se passa à sua volta. “É para o lado que dorme melhor”

JOSEP LAGO

Partilhar

Desejos para 2021

“O que desejamos para 2021 é a nossa liberdade intelectual e física, têm a ver com a pandemia, não é? Isso será o melhor para 2021, queremos que isto saia das nossas vidas, isto condiciona muito as nossas vidas familiares, financeiras. Isso é o principal e é o queremos”

Santa Clara

“As expectativas são sempre as mesmas, o Benfica joga sempre na perspectiva de ganhar e este jogo não será o contrário. Com confiança mas respeitando o adversário, sabendo que é um adversário que é difícil nos Açores. O nosso objetivo é recuperar o mais possível para a classificação. Vai ser um adversário com uma organização defensiva forte, que vai sair o contra-golpe, nas bolas paradas, onde é forte. O futebol é aleatório e nunca sabes o que pode acontecer”

Conversa com Conceição

“O Sérgio não falou comigo depois do jogo, falámos no dia de Natal, desejámos bom Natal um ao outro. Ponto, não falámos sobre o jogo ou sobre futebol. Se estou mais apático? Eu continuo a ter a mesma paixão. Mas não sou o mesmo treinador de há 10 anos, quando cheguei ao Benfica. Mal de mim se não tivesse evoluído. A mesma paixão, o mesmo sentido de treino, de jogo? Tenho o mesmo. Se mudei? Sim, mal de mim”

Pizzi

“O Pizzi é um jogador influente da equipa. Conto com o Pizzi a 100%, sem dúvidas nenhumas”

Falta de constância

“O Benfica não consegue ser constante nos 90 minutos, nem nenhuma equipa do Mundo. Agora o que queremos é continuar a ganhar jogos, alguns com sofrimento. Há muita competitividade no futebol português e o que queremos é melhorar as nossa ideias de jogo. Estou há cinco meses no Benfica, se calhar desses cinco meses tenho dois meses e meio de trabalho, por vários fatores. Os jogos são de três em três dias, não se treina, recupera-se. Temos capacidade para crescer e jogo a jogo espero que a equipa esteja mais de acordo com as minhas ideias e com as ideias do Benfica”

Substituto de Otamendi

“O Benfica tem várias hipóteses para substituir o Otamendi. Mas sem o Jardel ou joga o Todibo ou o Ferro. O Ferro é um jogador mais adaptado às minhas ideias, trabalha há mais tempo comigo e tem estado a treinar enquanto o Todibo esteve lesionado. Mas são dois jogadores em que confio muito e terei de optar entre um dos dois”

Público no estádio

“O que eu mais quero é que os adeptos do Benfica voltem ao estádio, porque é muito importante. Se me vão aplaudir de pé? Não sei. Eu tenho 30 anos de treinador e só estive num país no Mundo que me aplaudiu de pé todos os jogos. E eram 70 mil. Os resultados influenciam também a forma como podes ser aplaudido ou não”